[PEGA A PIPOCA] Filme X-Men, Dias de um Futuro Esquecido

Salve, salve galera. Parece que Pâmela gostou da minha presença no espaço dela e enquanto ela permitir, eu vou tocando essa coluna. Hoje eu vim falar de nerdice afinal. Vamos conversar sobre a galinha dos ovos de ouro da fox, 'X-Men, Days of Future Past' e como de praxe, na tradução brasileira, 'Dias de um futuro esquecido'.
Então vamos lá, peguem a pipoca, o refri, ou o cereal com Danoninho e se preparem.
No futuro, ou presente sei lá, esse até que é um filme bem enroladinho, os mutantes são caçados impiedosamente pelos Sentinelas, gigantescos robôs criados por Bolívar Trask (Peter Dinklage). Os poucos sobreviventes precisam viver escondidos, caso contrário serão também mortos. Entre eles estão o professor Charles Xavier (Patrick Stewart), Magneto (Ian McKellen), Tempestade (Halle Berry), Kitty Pryde (Ellen Page) e Wolverine (Hugh Jackman), que buscam um meio de evitar que os mutantes sejam aniquilados. O meio encontrado é enviar a consciência de Wolverine em uma viagem no tempo, rumo aos anos 1970. Lá ela ocupa seu corpo da época, que procura os ainda jovens Xavier (James McAvoy) e Magneto (Michael Fassbender) para que, juntos impeçam que este futuro trágico para os mutantes se torne realidade.
Olha, pra começar eu acho que esse filme devia se chamar Wolverine, dias de um futuro esquecido. Ou Wolverine vai voltar no tempo, ignorar toda e qualquer lógica e chutar a bunda de todos. Serio agora, esse filme se baseia na saga homônima de 1981 de Chris Claremont e John Byrne. No cânone quem volta ao passado para deter a ameaça iminente e a Kitty, porem nesse filme, o que vemos é Logan voltando no tempo com ajuda de Kitty que obtém poderes para tal.
Eu vou tentar manter mais ou menos a mesma linha que garota exemplar falando um pouco das personagens, do roteiro e dando uma conclusão, então vamos lá:

Roteiro: O roteiro de X-Men é tenso porque já é reconhecidamente um dos mais confusos que existem, infelizmente por vir de uma época onde não se considerava muito os universos e sim se uma galerinha de collant ia agradar ou não. E mesmo sendo um filme classudo, X-Men - Dias de um Futuro Esquecido está muito mais preocupado em corrigir eventuais erros do passado, ou futuro nem sei mais...

Personagens:
Jackman: Não há muito do que se falar dele por aqui, o cabelo é o mesmo, as costeletas, o cara tá no papel a 14 anos, ele sabe melhor que qualquer um como fazer.

McKellen/Fassbender: Os magnetos deitaram, serio. Fassbender traz uma ótica muito boa do magneto, ao mesmo tempo em que McKellen destoa um 'amadurecimento' do próprio personagem.

Stewart/McAvoy: Xavier, um bom personagem, na minha opinião de fã de filmes eu não percebi nenhuma mudança significativa quanto a citada anterior, lógico que o professor teve seus ótimos momentos de brilhantismo, tanto por parte do jovem, quanto do velho. Mas ainda assim há um tanto de falhas, mais por culpa do roteiro do que da interpretação deles. Porém, tudo isso é compensado com a fala dele para o Logan 'I don't want your suffering, I don't want your future!' (Eu chorei como uma criança nessa parte)

Lawrence: Desculpem-me fãs, mas sei lá eu gostava mais da outra mística, talvez porque a maquiagem da outra levasse seis horas, enquanto a Jennifer não quisesse passar mais do que duas.
Concluindo, esse filme ainda traz algumas boas surpresas, como o mercúrio, sem falar do fato de que deu um restart na série e pode começar tudo de novo fazendo o que quiser, o que pode ser uma coisa boa se usado de forma inteligente. Além do fato de apresentar mutantes famosos, como mancha solar e Bishop e ter uma boa coreografia de passado e “futuro” no final, além de uma senhora cena de combate.

Esse é um filme com selo LP de aprovação...

[RESENHA] Você tem sete mensagens, de Stewart Lewis

Hoje é dia da resenha de um livro que solicitei de parceria da editora Gutenberg - um livro que muito me surpreendeu e eu enchi de post-its, acho que é um dos recordes de post-its no livro. Se alguém já leu, por favor comente, e se não leu, também.


Sinopse: Luna é uma adolescente que perdeu a mãe em um acidente há cerca de um ano, atropelada por um táxi nas ruas de Nova York. Ela, o pai e o irmão ainda estão vivendo a dor e tentando superar o luto. Quando Luna vai ao estúdio em que sua mãe trabalhava para recolher seus pertences, surpreende-se ao encontrar o celular dela com sete mensagens de voz não ouvidas.
A jovem começa a ouvir as mensagens uma a uma. Depois de escutar a primeira, fica intrigada e decide investigar. Com a ajuda de seu vizinho Oliver – por quem sempre nutriu uma paixão secreta –, vai ouvindo as outras mensagens e descobre segredos chocantes e fatos inesperados, reconstruindo, assim, um quebra-cabeça que revelará algo que ela nunca sonhou existir.
Seu coração, porém, experimenta um turbilhão de sentimentos. Pode a dor de uma perda tão importante conviver com o nascimento do primeiro amor? As descobertas sobre seu passado, que mudam o que ela sabia em relação a si mesma, devem ser um obstáculo para a intensa paixão que ela ousa sentir?



RESENHA
Confesso que li poucas opiniões sobre esse livro antes de solicitar para a editora, e tinha a impressão de que ia ser só mais um livro adolescente qualquer. Mas eu me enganei, apesar de dar quatro estrelas no Skoob. Eu achei um livro tão rico em detalhes adolescentes, que qualquer pessoa pode passar se houver uma tragédia dessas, que achei realmente o livro muito bom.

Moon ou Luna (Mália, na verdade) tinha uma vida normal com seus pais, Tile  e com a visita muito espaçada de tio Richard com o namorado Julian. Mas sua mãe sofreu um acidente e morreu. Isso foi há um ano, porém, ela pode descobrir coisas que ainda impactam, depois de voltar ao estúdio de sua mãe e encontrar o celular vermelho dela. Ainda com linha ativa. Ainda funcionando.

[PEGA A PIPOCA] Filme Garota Exemplar

Salve, salve galera. Aqui quem fala é o LP, tomando conta do espaço por alguns instantes para espalhar um pouquinho da minha opinião sobre filmes e para hoje eu escolhi o aclamado “Gone Girl”, ou na tradução brasileira “Garota Exemplar.”
Humm... Pegue a pipoca e vamos começar?
As buscas por Amy “exemplar” (Rosamund Pike) ainda continuam... Ela desaparece no dia do seu aniversário de casamento, deixando o marido Nick (Ben Affleck) em apuros. Ele começa a agir descontroladamente, abusando das mentiras, e se torna o suspeito número um da polícia. Com o apoio da sua irmã gêmea, Margo (Carrie Coon), Nick tenta provar a sua inocência e, ao mesmo tempo, procura descobrir o que aconteceu com Amy.
Então vamos lá, falar sobre uma obra prima, sem spoilers e com poucas linhas.
Por onde começar... Já sei, sabiam que Reese Whitherspoon é a produtora? Pois é e o roteiro foi adaptado pela própria autora do best seller, mas o que mais chama atenção no filme, mais até que o queixo do Ben Affleck (e acredite, farei muitas piadas com isso) é que ele é dirigido por ninguém menos do que David Fincher, o cara de Se7en e Clube da Luta, ou seja, ele dirigiu o Brad Pitt, precisa de mais? Sobre o filme o que nós vemos é muito da forma com que Fincher nos joga em sua atmosfera onde leva o espectador para um universo de rotina, mas enigmático. Aqui vamos por partes.

Roteiro: Adaptado com a ajuda da autora, em uma opinião bem pouco imparcial, ele foge do que estamos acostumados a ver, mesmos em thrillers do gênero, são belas reviravoltas que deixam o espectador em uma gostosa confusão, incapaz de acompanhar ao certo a quem pertence a culpa do assassinato da prodigiosa Amy. Claro, temos alguns defeitos que pesam negativamente contra o filme, como personagens que eventualmente tem em mãos fatos que poderiam determinar o final do filme e simplesmente são deixados de lado. Teoria do ‘não’ é você?


Personagens: 
Ben me deixou uma dúvida latente, maior do que se aquele maxilar foi concebido naturalmente e infelizmente só conseguirei esclarecer no próximo papel que ele interpretar. O personagem dele era para ser o de um homem que cai em rotina, que é apenas mais do mesmo em um casamento que agora já está comprometido pela mesmice. O que ele faz muito bem, com uma cara de vazio boa parte do filme. Mas agora cai a pergunta, ele estava atuando muito, ou aquilo é o máximo que ele pode fazer? Bom, não sei, mas sei que ele tem um queixo de responsa. Deixo a vocês o julgamento.

Pike: O que dizer sobre ela? A atriz londrina dá vida, com sua beleza fria e sua figura fantasmagórica, a Amy exemplar. Não dá pra falar muito mais sobre Amy, a figura de esposa perfeita e querida pelos pais e pelo grande público em geral por ser uma autora, sem que tenha que entregar spoiler, logo vou ficar por aqui mesmo.
Concluindo, há uma boa integração entre os elementos secundários da história, tal qual a intromissão da imprensa americana e o súbito aparecimento do advogado.
E eu já falei que temos o queixo do Ben Affleck? Meu Deus que queixo incrível, impõe respeito e moral. Assistam esse filme, se não por mim, pelo queixo. Valeu!

Novo Colunista - L.P. Nunes

Oi galera, como vão vocês? Hoje é dia de um pequeno aviso antes que vocês notem as postagens e fiquem se perguntando - aonde está a Pâm?
Bem! A partir de hoje, temos um novo colunista no blog - o querido amigo nerd L.P. e autor do blog Os Quatro Selos, que aliás, podem visitar. 
Como eu considero ele, um grande aficionado por filmes, jogos, livros e séries, ele foi convidado para compartilhar um pouquinho da opinião aqui no blog. Uma opinião bem fundada em muuuuuuito conhecimento adquirido, pode acreditar.
Conheça um pouquinho dele aqui:




Luiz Paulo nasceu em São Paulo-SP. Em sua vida nunca teve qualquer aptidão pra nada, então resolveu escrever um livro... Imaginativo, fez um curso de Engenharia Civil e quase enlouqueceu, mudou para Administração na PUC-Campinas. Poeta nas horas vagas, cinéfilo por opção, sonhador por natureza. A carreira de autor começou extraoficialmente com a releitura de uma história de guerra, segundo ponto de vista de um soldado.



E o moço também tem um canal, ainda em fase beta mas é um canal. Confira o primeiro vídeo aqui e se inscreva! 

Li até a página cem - #05

Hoje é dia de Li até a página cem, e como vocês sabem ou não, é uma tag para andamento de leituras. Basta chegar até a página cem e puf, você pode fazer uma tag dessa no seu blog/flog/etc. também.
Minha leitura atual, é um pouco densa de ambientação e casos, mas estou gostando bastante. Vamos ver se já conhece?

Primeira frase da página cem:
- Os Franklin estavam usando um espinhel com os anzóis próximos demais, o que é proibido.[...]

Do que se trata o livro?
Cinco mulheres foram assassinadas sem relação alguma com os lugares nos Estados Unidos. Quando eu digo assassinadas, quero dizer muito brutalmente

O que está achando até agora?
Talvez minha professora de ética não gostaria de saber que eu estou lendo sobre um psicopata. Talvez pensem que eu sou louca, mas Hannibal Lecter é um dos personagens mais inteligentes, e é interessante saber e pensar como outras pessoas. Como a história se passa principalmente em Arkansas e estou fazendo um protótipo de uma história com essa cidade (citou até a minha cidade!) então tem muitas descrições das pessoas, sotaques, etc. mas sem ficar cansativo.

O que está achando dos protagonistas?
Hannibal é muito inteligente e sabe retirar exatamente as informações que precisa, muito sutilmente traçando o perfil psicológico.
Starling é uma moça que precisa de um destaque maior e que se sente assim com Jace e com Lecter.
Quero muito saber como Harris desenvolveu-os daqui para frente e como J.C. e os outros vão ter maiores informações. Onde está Buffalo Bill?

Melhor quote até agora:
- O mal é,portanto, destrutivo? Então as tempestades são o mal, se tudo é tão simples. E temos o fogo, e temos o granizo. As companhias de seguro listam-nos todos como "Atos da Providência"

Vai continuar lendo?
Sim, está muito interessante e os personagens são muito inteligentes. É intrigante, é instigante. E quero ler a continuação.

Última frase da página:
Starling sentiu vontade de dizer alguma coisa antes que fechassem o saco com zíper, fazer um gesto ou comentário.


E como estão aproveitando o feriado? Vou aproveitar para por os deveres, séries e leitura em dia! 
Um abraço ;)

[RESENHA] O Inverno das Fadas, de Carolina Munhoz

Hey pessoal! Já era para ter feito essa resenha há um longo tempo, mas eu com minha lerdeza em fazer resenhas... Deixamos muito a desejar de vez em quando. Então resolvi postar hoje, porque sim. 
E logo é aniversário do blog.... Desde 24.02.2012 - TRÊS ANOS! Estou pensando num sorteio no Facebook, que tal?
Enfim... FELIZ DIA DOS NAMORADOS! Nos Estados Unidos e outros lugares. Hoje, né? 
Ok, vamos lá!

O Inverno das FadasSinopseEXISTEM PESSOAS NORMAIS em nosso planeta. Homens e mulheres simples que nascem e morrem sem deixar uma marca muito grande ou mesmo significativa na humanidade. Mas existem outros que possuem talentos inexplicáveis. Um brilho próprio capaz de tocar gerações. Como eles conseguem ter esses dons? De onde vem a inspiração para criar trabalho maravilhosos? São cantores com vozes de anjos, artistas com mãos de criadores e escritores imortais.

RESENHA
Esse foi um livro que li em meados de 2012, e consegui o autógrafo no início de 2014. Lembro que a primeira vez que vi, me encantei pela capa, e nem me perguntei se teria um antecessor - o que descobri depois que estava lendo, que era "A Fada", que aliás, ainda não li..
Na verdade, "A Fada" é um antecessor porque há personagens aqui que foram melhor apresentados no primeiro livro, mas nada impede você de ler o inverno das fadas direto, assim como eu fiz, porque não é nada demais. É como ler Livro das Princesas e ler o conto da Paula Pimenta  e só depois ler Princesa Apaixonada da autora - não tem problema, e só complementam as histórias. 

[PEGA A PIPOCA] Seriado Agent Carter

Olá pessoal! Hoje é dia de uma nova coluna , "Pega a Pipoca", onde falarei de filmes, curtas ,séries, enfim! Tudo que eu assistir. Depois de começar a ver mais séries e filmes, resolvi que tenho que compartilhar pelo menos um pouquinho, não com uma opinião profissional mas sim... Para mostrar um pouco do que eu assisto e quem sabe, você não se interessa em ver também?


Hoje vou falar sobre a nova série da ABC. Lembra da garota do capitão américa? Não? Você assistiu Capitão América? NÃO? Então vamos a um trecho:



Bom, é essa moça de camisa branca aí em cima, também conhecida por Peggy Carter, que dá o sobrenome à série. A série se passa no momento após o filme Capitão América - Primeiro Vingador então se você não assistiu, recomendo assistir porque é necessário para ver essa série.
1946. Após a Guerra, e perder seu amor, Peggy se vê deixada de lado quando os homens voltam do ocorrido. Ela não é mais a nossa agente Carter do filme, ela tenta mas continua uma assistente administrativa na SSR - Reserva Científica Estratégica.

Mas ela não contava com o reaparecimento de Howard Stark e seu fiel ajudante, Jarvis. Howard foi acusado de liberar suas poderosas armas no mercado negro, e Peggy, como a única pessoa em que ele pode confiar, deve localizar quem fez isso, livrar as armas e limpar o nome Stark. Tudo isso com muito cuidado, pois se soubessem que ela está envolvida, seria um tremendo desastre, além de considerada uma traidora e sabe-se lá o que fariam com ela. Aos poucos, ela vai descobrindo que as pessoas ao seu redor não são quem parecem ser. Até mesmo Stark.

Ainda, a série lida com a dificuldade da mulher se destacar na sociedade, que é muitas vezes deixada de lado. Apesar de Peggy ser uma ótima agente, os homens estão sempre deixando os trabalhos administrativos e simples, e evitam assuntos que ela supostamente não deveria entender por ser uma moça. O jeito como os homens tratavam - e talvez ainda tratam em alguns lugares - as mulheres de forma grosseira. As roupas de época, não existir celular. Uma espécie de condomínio apenas para moças. Mortes, tiros certeiros, ação, não muitos romances e Stan Lee - essa série tem tudo para dar certo. O que esperamos é que os produtores não decepcionem os fãs, não é mesmo?

A fotografia da série é belíssima, figurino impecável, cenários característicos e incríveis. Personagens conhecidos irão aparecer por aqui, e novos personagens. Até o ator de One Three Hill apareceu por aqui. E Sousa... Ah, Sousa! Charminhos à parte, adoro esse rapaz. Ele é tão bonzinho e protetor com a Peggy, e um gentleman. Gentlemans merecem a atenção todinha para eles.

Enfim! Você não precisa saber muito mais da S.H.I.E.L.D., só Capitão América já basta, e a história é curtinha. Segundo os produtores, oito episódios. Uma história finita? Bem, vamos aguardar os próximos capítulos. Que tal se arriscar?
Enquanto decide isso, um trailer da série:



Que tal? ;)




[PSIU, TEM CORREIO!] Janeiro 2015

Olá fevereiro! Como vão vocês todos?
Esse mês de Janeiro, teve tanto livro novo, que a pilha ainda tá na minha cabeceira prontinha para ser lida. Mas eu estou dando prioridade de leitura às séries que comecei e não terminei. Mas vamos lá que tem muito livrinho aqui... Promoção do Submarino é realmente uma perdição, não é mesmo? E junto, foram esses bazares que vendem livros bons a 2 reais. DOIS REAIS!

A Sociedade do Anel - A Lista de Schindler - O diário de Laura Palmer - O diário da Bridget Jones
Devo dizer que todos os livros da foto acima, custaram DOIS reais cada um. Repito: dois reais! Inclusive  A Sociedade do Anel.

NEWSletter

Blog Archive