[RESENHA] O Inverno das Fadas, de Carolina Munhoz

Postado em 14 de fevereiro de 2015 às 10:00 por

Hey pessoal! Já era para ter feito essa resenha há um longo tempo, mas eu com minha lerdeza em fazer resenhas... Deixamos muito a desejar de vez em quando. Então resolvi postar hoje, porque sim. 
E logo é aniversário do blog.... Desde 24.02.2012 - TRÊS ANOS! Estou pensando num sorteio no Facebook, que tal?
Enfim... FELIZ DIA DOS NAMORADOS! Nos Estados Unidos e outros lugares. Hoje, né? 
Ok, vamos lá!

O Inverno das FadasSinopseEXISTEM PESSOAS NORMAIS em nosso planeta. Homens e mulheres simples que nascem e morrem sem deixar uma marca muito grande ou mesmo significativa na humanidade. Mas existem outros que possuem talentos inexplicáveis. Um brilho próprio capaz de tocar gerações. Como eles conseguem ter esses dons? De onde vem a inspiração para criar trabalho maravilhosos? São cantores com vozes de anjos, artistas com mãos de criadores e escritores imortais.

RESENHA
Esse foi um livro que li em meados de 2012, e consegui o autógrafo no início de 2014. Lembro que a primeira vez que vi, me encantei pela capa, e nem me perguntei se teria um antecessor - o que descobri depois que estava lendo, que era "A Fada", que aliás, ainda não li..
Na verdade, "A Fada" é um antecessor porque há personagens aqui que foram melhor apresentados no primeiro livro, mas nada impede você de ler o inverno das fadas direto, assim como eu fiz, porque não é nada demais. É como ler Livro das Princesas e ler o conto da Paula Pimenta  e só depois ler Princesa Apaixonada da autora - não tem problema, e só complementam as histórias. 

Mas voltando.
Eu não sabia muito do que se tratava o livro, mas quando vi a sinopse achei interessante.
Carolina nos apresenta o mundo das fadas, e nesse mundo, as fadas tem um tipo. Esse livro conta a história de Sophia Coldheart (uma alusão a coração de gelo hehe), uma fada Leanan Sídhe, lindamente e maravilhosamente irresistível no seu poder de "ser sexy", que, para sobreviver, deve seduzir artistas, assim eles acabam doando sua energia vital, e no fim, morrem ou ficam loucos. O que você prefere?
A pele branca como mármore vivia quente . Os olhos violeta de longos cílios negros combinavam com as cores divertidas das asas, discretamente abertas nas costas. No corpo havia vários riscos negros e finos desenhados como se fossem tatuagens. Cada risco representava uma alma que havia possuído.
As fadas recebem uma tatuagem para lembrar daquela alma. Macabro? Talvez eu possa chamar apenas de sobrevivência. Talvez alguns queiram chamar de loucura.
No início vemos como isso acontece, e como que as fadas fazem para inspirar humanos, e é muito bonito, muito incrível. Mas confesso que no início achei muito confuso em relação a entender o reino e as identidades, e um pouco sim, das fadas. Energia vital? Matá-los? Isso parece meio obscuro no começo, mas logo entendemos.
Já no início conhecemos Donald - e eu pensando que ele seria o principal... Nisso que dá não ler a orelha do livro - sua depressão, sua fama e seu fim.
Sophia já estava acostumada a isso, mas ao encontrar William, o escritor, ela acaba se apaixonando pelo rapaz. Só que quanto mais ela o inspira, mais ela tem de sugar para sobreviver. Só que ela não quer isso, porque já teve sua mãe com um caminho muito parecido e não quer o mesmo resultado.
Os dois acabam se apaixonando, rapidamente mas gradativamente, à medida que aparece na cabeça e nos sonhos do rapaz, que inicialmente é resistente fazendo com que a fada fique intrigada com a atitude do rapaz. Mas será que ele vai sobreviver à moça?
Enxergo em William algo muito maior. É maior do que eu mesma. Vejo nele uma bondade encontrada em santos, um romantismo de poetas do passado e uma força de vontade de guerreiros medievais.
Algumas coisas eu achei fora de questão do livro, e lá para a metade, chega a ser um pouco cansativo. Mas ao final, foi fofo e fez aquela sensação de "valer a pena".
As mortes que Carolina conta como se fossem as fadas que houvessem causado, na verdade, condizem com as mortes de grandes artistas, e você realmente acredita na narrativa, o que eu acho muito válido para um universo novo.
Gostei de como as músicas se encaixaram com cada capítulo, o que me fazia ficar lendo para tentar entender aquele trecho na história. Ah! A autora nos apresentou a fada em si como um ser ora bom e ora mau, e você, apesar de saber disso, acaba torcendo por ela, mesmo que humanamente falando, ela não tenha tanta razão assim.
O livro acaba abordando vários temas, o que achei muito bacana. Logo na primeira página damos de cara com a depressão e entramos em alguns questionamentos próprios. E também, apresenta nomes de famosos que possam ter sido seduzidos por fadas. É uma ideia interessante, não?
Para ele, escrever era passar dias e noites em claro, lutando com as palavras para conseguir montar algo que, um dia, iria modificar a vida de uma pessoa.
Carol, sua linda, você nunca escreveu um quote tão certo. Acho que todo mundo já passou com isso ao tentar escrever uma história, não? Tem vários quotes, e meu livro está todo riscado - na época eu não enchia de post-it mas está riscadinho sim.
Uma coisa super legal foi que no final do livro, tem a playlist com todas as músicas dos inícios de capítulo. Achei o máximo, porque depois eu baixei várias músicas e tenho até hoje. E me tornei fã de várias bandas e cantores depois de ouvir essas músicas, porque me fizeram ouvir mais músicas e ufa! É uma beleza. Linkin Park está no meio, galera!
Não foi, em relação a personagens que eu me apaixonei - o meu favorito é o William, que eu imagino o Rupert Grint -, muito espaçoso no meu coração nesse sentido. Eu gostei da narrativa, gostei do universo, mas achei que ficou faltando algo. Não me entenda mal, por favor, mas talvez meu problema seja com as fadas. Ainda não sei se gosto delas, como faz? Seres traiçoeiros que demoraram a conquistar um pequeno espaço e ainda confiaria mais em um vampiro ou lobisomem (Cassandra Clare se fazendo presente aqui?)
Foi um livro bom de todo modo, você fica encantado com as músicas, como elas se encaixam, e fica encantado com o universo que Carolina conseguiu escrever através de seus dedinhos. Quem não gostaria de ter uma amiga fada para inspirar lindas músicas, histórias entre outras artes? Contudo, eu tenho vontade de ler Feérica, porque as críticas estão super positivas

E vocês? Leram? Gostaram?

Você também pode gostar de:

7 comentários

  1. Oie!
    Eu já tinha ouvido falar deste livro, mas nunca li uma resenha. Ele já me interessava pelo nome. Eu sou louca pelas fadas! Tudo que tem fada eu leio/assisto. Confesso que fiquei bem interessada. Nunca vi as fadas com algo um tanto sombrio, algo que precisa matar pra sobreviver. Esse lado de alguma forma me cativou uhauahu
    E se apaixonar sabendo que pode ser a destruição do seu amado? Que barra pra segurar, viu?
    Eu acho que prefiro ler o livro anterior pra não ficar confusa, mas sim, eu quero muito ler Inverno das Fadas! Se você que não vai muito com a cara delas gostou, imagine eu hehe
    Sem falar que a capa é linda, as músicas pra ler são uma boa (eu amo ler escutando música, deixa tudo mais emocionante), e a citação que você colocou eu adorei.

    Beijos, muito obrigada pela indicação!
    www.expressodenarnia.com

    ResponderExcluir
  2. Eu já vi esse livro várias vezes na livraria, também acho essa capa muito bonita. A história parece ter um lado bem legal das fadas kk mais um pra lista

    criativosounao.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi Pam,
    Ainda não li mas pretendo, pois adoro fadas *.*
    Pelo que li na sua resenha o universo que a Carol criou, parece interessante e fiquei curiosa sobre essa parte dos artistas.

    E essa trilha sonora? UAU... só música maravilhosa!

    bjs e tenha uma ótima semana
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  4. A experiência que tive com livros dela não foi muito boa, então acho que deixo esse livro passar, mesmo tendo uma capa liinda. Ainda assim, gostei da resenha, principalmente por abordar temas diferentes. Acho que a autora tem uma certa paixão por fadas, porque O reino das vozes que não se calam é mais ou menos do mesmo estilo kkk

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/
    Tem post novo sobre os Multitalentos, vem conhecê-los!

    ResponderExcluir
  5. Oi, Pâm, adorei a resenha, adoro os livros da Carol, ( Só li o Reino das Vozes....), mas tenho que criar coragem e ler os atrasados e também os do Raphael Draccon, mas serio o seu blog é ótimo.

    ps: Acho que alguém aqui é fan de Mag Cabot???

    abs.
    http://perdidoemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Eu tenho esse livro *-* Muito legal ele!Estou pensando em reler.
    Estou vendo ali na Estante "A maldição do Tigre"...Não consegui continuar lendo ele...Achei chato :(
    Obs:Teu Blog é muito perfeito rs

    ResponderExcluir
  7. Oi Pâm!! ^^
    Parabéns para o blog e muito sucesso!!

    Eu li desse livro, mas não se tornou o meu favorito. Achei que ficou muito focado no romance entre os personagens e eu queria mais sobre as fadas e os rituais (inclusive um que o padre menciona mas que William rejeita - não me lembro muito se foi assim, faz tempo que eu li). Outro detalhe que me desagradou foi o conteúdo sexual. Tudo bem que a fada seduzia os artistas, mas chegar às vias de fato eu não esperava e não contava com isso já que não havia nenhum aviso no livro.

    Bom, de qualquer forma, o que não me agradou, foram detalhes pessoais. Sim, porque o livro é muito bem escrito e gostoso de ler.

    Beijusss;
    http://hipercriativa.blogspot.com.br/
    https://www.facebook.com/BlogMenteHipercriativa

    ResponderExcluir

NEWSletter

Blog Archive