[NOVIDADES] Antologia Sombras da bomba

Hey cupcakes! Hoje tenho uma super dica para você, querido leitor, mas que tem AQUELA vontade de escrever um conto mais "darkside", voltado para o tema de holocausto nuclear e distopia, neste caso. O que acha de tentar? 
Fonte: Youtube
SINOPSE

Primeiro veio a luz, que ofuscou o sol com o poderoso brilho de muitos megatons, depois veio o som, como o estrondoso rugido de um deus furioso, gritando contra a insanidade humana. A coluna de fumaça e fogo ganhou os céus nascendo da terra, agora morta, formando o arco belo e mortal de um cogumelo radioativo que assombrará gerações. Estas são histórias dos olhos e almas que sobreviveram e que caminham em um mundo mergulhado nas sombras da bomba!

REGULAMENTO ANTOLOGIA SOMBRAS DA BOMBA:

1. O conto deverá estar dentro do tema proposto (holocausto nuclear).
2. Cada participante poderá concorrer com apenas 1 (um) conto.
3. O conto deverá ter até 4 páginas.
4. O autor selecionado se compromete a pagar o valor único de R$ 50,00 referente às despesas de publicação. Por esse valor, o autor levará um exemplar da antologia (frete incluso).
5. O conto deverá ser enviado em fonte Times New Roman, tamanho 12, justificado, espaçamento simples entre linhas.
6. O autor deverá mandar junto com o conto uma minibiografia de até cinco linhas.
7. O conto, na devida formatação, deverá ser enviado para o email coletanea2016@gmail.com
8. Os nomes dos selecionados serão divulgados no site da Darda Editora e na página do organizador, Maurício Coelho.

PRAZO: Até 07/11/2016

Leia mais dicas para escrever sobre essa distopia aqui.

E aí, prontos para escreverem uma distopia? :)

[PEGA A PIPOCA] Filme Será Que?

Salve, salve galera! Estou voltando e não há maneira melhor de provar isso do que pedir de volta um espacinho no coração da Pâm com a coluna Pega a Pipoca!
Hoje eu vim trazer um dos meus dois filmes preferidos ever e por mais estranho que isso possa soar para quem for ler, não estou falando de nenhum filme de super-heroi, tão pouco de ação, estou falando de uma comedia romântica: Será Que? No inglês, What If?
“Estrelada pelo Harry Potter, o menino que sobreviveu no papel de Wallace (Daniel Radcliffe) que está sozinho há um ano, após terminar com a namorada depois de vê-la com outro homem. Um dia, em uma festa organizada pelo melhor amigo Allan (Adam Driver), ele conhece Chantry (Zoe Kazan), a prima dele. Não demora muito para que o papo entre eles flua naturalmente e Wallace se ofereça para levá-la até em casa. Mas, ao chegar, ele descobre que Chantry tem um namorado, Ben (Rafe Spall), o que o desanima. Dias depois, Wallace e Chantry se reencontram por acaso e, após uma rápida conversa, decidem ser apenas amigos. A partir de então, eles andam juntos por tudo quanto é canto, apesar de Wallace nutrir um sentimento romântico por ela. ”
Verdade seja dita, esse é um filme bem inocente, pouco ambicioso e até que clichê, porem eu acho que são essas características, com o toque romântico que fazem dele justamente o meu segundo filme preferido. Quem me conhece e aí eu posso colocar a Liga, sabe que eu nem deveria estar brincando com esse assunto de romance, mas a verdade é que relacionamentos amorosos costumam ser imprevisíveis. Ninguém acorda como a música do Charlie Brown, hoje eu vou sair pra encontrar o amor. A química da paixão possui nuances tão variadas que é difícil até mesmo saber quando se está mais propício para encontrar sua possível cara-metade, em resumo, horoscopo é uma bobagem, pois tudo simplesmente acontece sem você nem se dar conta direito. Às vezes por aquela pessoa que está ao seu lado, ouvindo e falando constantemente, como seu melhor amigo (a). Acontece. Bate então o medo do fim da amizade, do “tudo vai mudar”, mil coisas. Tem gente que troca de namorado (a) com a maior facilidade, mas faz questão de não perder o amigo (a). É esta dúvida eterna que norteia o o meu adorado Será Que? E nesse filme o que nós temos é uma pegada mais adolescente, com brincadeiras bobas, naquele estilo que vai provocar risadas no casal, fechado em um mundinho próprio que dá todo o charme da obra, tornando os protagonistas tão carismáticos que te cativam logo nos primeiros minutos do filme. Interessante notar que os dois personagens centrais da trama possuem uma química bastante singular que vai desde o timing nas piadas até a altura dos dois que é  bem parecida, o que de alguma forma não traz desconforto ao observar, parecendo que ambos estão em um plano nivelado, em total sintonia.
O filme possui também outros personagens de apoio, como o Kylo Rain (Adam Driver) e Mackenzie Davis, sendo esses dois estereotipados até dizer chega, ressaltando sempre o ar descolado existente nos relacionamentos modernos. O que nós temos é o Adam servindo como ombro amigo do Wallace, ouvindo tanto suas lamurias quanto soltando comentários sarcásticos sobre seu comportamento, com piadas prontas sobre a vida amorosa do Harry. Já do lado dela, há uma insistência na questão da animação. O problema não é nem sua existência, mas a falta de uso na proposta: trata-se de um mero bibelô que enfeita o filme, em certos momentos.
Na parte de roteiro, o que se vê é um filme aquecedor de corações e bem clichê, não vemos nenhuma mudança súbita na trama e desde o primeiro momento onde descobrem que começaram como amigos a gente já sabe como a história vai acabar.
Imagino que muitos devem estar se perguntando: LP, como um filme sem grandes perspectivas de roteiro, sem uma atuação bombástica dos personagens, consegue ser o seu segundo filme preferido? De todo o seu repertorio, toda a sua lista What If é mesmo o seu segundo?
Quem me conhece sabe que eu não sou de falar muito em paletas de cores, que eu acho isso um detalhe relevante no filme e que acrescenta muito a didática do mesmo, mas que não chega a ser uma peça tão central e determinante assim. Por isso eu sei que não são as cores do filme que me despertou interesse para ele.
Então sim, meus amigos ele é o segundo. É difícil para mim estabelecer a real causa disso, eu sei, mas existe algo neste filme, no seu decorrer, na sua simplicidade e falta de ambição, até na maneira inocente de mostrar o amor que invariavelmente chamou minha atenção, então sim, me julguem. Eu adorei essa comédia romântica.
Há de se evidenciar também um detalhe em particular eu vai virar uma coluna especial lá no Quatro Selos, a trilha sonora.
"Na vida real o amor é apenas uma desculpa para ser egoista. Você pode mentir, trair e machucar as pessoas, mas tudo bem porque esta apaixonado."
"Quando se conheceram foi conexão instantânea. Com sorte, isso acontece uma vez na vida. E, se não tiver sorte, terá que ir a casamentos... e ouvir pessoas como eu falando e achar que somos românticos incuráveis. É fácil ser cínico sobre o amor." - Daniel Radcliffe.

[LIVRO DESTAQUE] A chance de encontrar o amor no metrô, de Rafael Dourado

Hey Cupcakes lindos! Como estão vocês?Hoje é dia de apresentar a vocês o conto "A chance de encontrar o amor no metrô" do autor Rafael Dourado - gente, como não ficar com vontade de ler por essa capa, pelo título e esses quotes... Ai! Que tal conhecer também? Ando meio "sumida" mas logo o LP vai estar por aqui também... Coming soon!
Tá esperando o quê? Corre o mouse pra baixo e confira ;)

[RESENHA] A Caçadora - Sorriso de Vampiro, de Vivienne Fair

Hey cupcakes! Hoje é dia de uma resenha delicinha disponibilizada pela Editora Draco - A Caçadora Sorriso de Vampiro, da autora nacional Vivienne Fair, o primeiro da trilogia A Caçadora, e quero agradecer a oportunidade da leitura! Desculpem a minha ausência, devo isso a brigadeiros (afinal, não é todo dia que a gente faz 21 anos né? Acho que tô ficando velha...) e ao tio George Martin Agora que estou começando a acabar (extranho isso)! Então, que tal ver meus quotes e o que absorvi da experiência de leitura?

A Caçadora
Sinopse: Quem nunca se apaixonou por um vampiro, que atire a primeira estaca. Jéssica levava uma vida simples até descobrir que seus pacatos pais – um dentista e uma professora – eram na verdade caçadores de vampiros. Pressionada para seguir a tradição da família, parte em uma viagem para provar de uma vez por todas que vampiros não existem e que seus pais precisam de terapia. Ao frequentar a universidade onde um suposto vampiro atua, faz amigos estranhos, uns tais otakus, e é perseguida por líderes de torcida e outros tipos populares. E antes que perceba, acaba se interessando por um rapaz que só pode ser vampiro – pálido, lindo, só sai à noite e tem cara de que usa muito delineador. Com o tempo Jéssica perceberá que a verdade vai bem além dos livros e acabará pondo em risco muito mais que o pescoço: o seu próprio coração. A Caçadora – Sorriso de vampiro é o primeiro romance da trilogia A Caçadora, de Vivianne Fair, autora que conquistou fãs pelas suas divertidas comédias românticas cheias de referências à cultura pop.

Postagens Populares

NEWSletter