Postado em 31 de maio de 2018 às 22:23

[RESENHA] Confissões On-Line, de Iris Figueiredo

Hey cupcakes! Hoje é dia de resenha de nacional, sim! E esse foi um nacional que conheci na Bienal - a Iris é muito amorzinho, minha gente! Então chega de lenga lenga e vamos ver o que eu achei?


Sinopse: Prudência é uma característica que só consta no sobrenome de Mariana Prudente. A menina viu sua vida mudar de cabeça para baixo em poucos meses: perdeu a popularidade, o namorado, a melhor amiga e o grande sonho de fazer um intercâmbio. Agora, Mariana vê seu nome rabiscado nas cabines do banheiro da escola e escuta fofocas sobre ela pelos corredores do colégio e fica sem rumo. O vestibular se aproxima, sua irmã está enlouquecida por causa do casamento marcado, e tudo que ela quer é não pirar enquanto suporta os últimos meses no ensino médio. Sem lugar para desabafar, Mari vê no ambiente virtual uma chance de descarregar todas as angústias do mundo off-line, criando o vlog "Marinando". Com sua banda preferida como trilha sonora, ela conta com a ajuda de Arthur e Carina para mergulhar no mundo virtual e esquecer os problemas do mundo real. Com uma câmera na mão e alguns vídeos na internet, Mariana Prudente vê sua vida mudar mais uma vez, pois chegou a hora de sair dos bastidores e ser a protagonista novamente.

RESENHA
Confissões On-Line é realmente um livro para se ler rapidinho e sentir-se um pouco nostálgico em relação a todas as aventuras que vivemos no Ensino Médio, essa época da vida que marca tanto a gente por um tempo. E que tempo para Mari, a nossa protagonista. O caso é que ela acabou de passar por uma situação muitíssimo chata no colégio e vê sua reputação abalada, assim como suas amizades e relacionamentos e ela se vê num caminho sem saída. Para ajudar, o seu intercâmbio foi cancelado porque seus pais precisam ajudar financeiramente no casamento da sua irmã mais velha e com o vestibular se aproximando sua vida parece um verdadeiro caos. Com a amiga muito ocupada sendo oprimida nos estudos pela mãe, Mari não vê saída a não ser desabafar com sua velha amiga câmera todas as frustrações do mundo real no mundo virtual. Será que essa seria a melhor escolha? Bem, ninguém vai visualizar mesmo, não é? 
A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em péNão dava pra voltar e consertar os erros do passado, mas era possível mudar o presente a cada dia, tentando fazer melhores escolhas e quem sabe um dia estar satisfeita com elas.
pág. 178
Mari é uma personagem que está em constante crescimento e podemos ver que ela tem uma maturidade que foi forçada a ser criada por tudo que acontece com a menina - sim, você vai descobrir, mas ao longo das páginas, o que confesso me deixou um pouco aflita - mas de restante ela é uma garota normal como nós fomos um dia nos auge dos 16, 17 anos: curte uma boyband, tem quedinhas exorbitantes por caras maravilhosos, gosta de tomar sorvete com a melhor amiga e tem preocupações do colégio, ela é um doce mas acaba tendo de passar por umas poucas e boas; Arthur é um cara legal e vamos descobrindo um pouco mais dele principalmente depois de um evento que vai ocorrer na cidade, sendo um pouco mais velho, achei que ele é exatamente o tipo que não quer forçar as coisas mas quer deixar a vida acontecer naturalmente. Carina é a melhor amiga e aqui temos um assunto pessoal que é abordado de maneira sorrateira mas muito séria. Alguns "amigos" como Heloísa , Leo e Eduardo acho que podemos ter encontrado facilmente em nossas vidas e não queremos vê-los novamente: temos que aceitar que há simplesmente pessoas que não vêem os sofrimentos das outras ou o mal que estão fazendo com suas pequenas e grandes atitudes. Melissa é a típica irmã mais velha chata mas que na verdade tem um bom coração escondido por todo nervoso e preocupação. 
O maior agradecimento que você pode me dar é ser feliz.
pág. 62
Iris escreveu um enredo nostálgico com algumas referências em uma história que pode ter acontecido com você, afinal. De forma doce e suave ela trata de temas como violência verbal, anorexia, bulimia, amizade, família, sonhos que são interrompidos por um tempo, romance e amores temporários. É um livro bom mas que eu alguns momentos eu queria que a Mari sofresse menos e pudesse ter mais oportunidades, como a Fani da Paula Pimenta. A leitura é fluida, o livro não é grande e os capítulos também ajudam em ter um bom andamento o que ajuda na rapidez da leitura. Sabe um livrinho pós ressaca literária? Esse! Cheguei a chorar de nostalgia em algumas partes, como eu sou chorona! rs

Classificação: ⭐⭐⭐⭐

Um comentário

  1. Adorei a premissa do livro, eu amava ler livros assim na minha adolescência!!

    Beijos
    Próxima Primavera

    ResponderExcluir

Desenvolvido por: Adorável Design Editado por: Pâm Possani