[RESENHA] Nunca Olhe para Dentro, de Amanda Àghata Costa

Postado em 20 de novembro de 2017 às 21:42 por

Hey cupcakes! Hoje é dia de uma resenha muito especial de um dos livros mais bonitos que li neste ano. O livro Nunca Olhe para Dentro da autora Amanda nos surpreende pelo tema e forma com que é apresentada a história de Betina. Vamos conferir o que eu achei nessa resenha?

Sinopse: Nem sempre a vida é colorida como um quadro ou suave como uma pincelada, às vezes é o contrário de tudo isso. Depois de perder os pais em um acidente de carro aos oito anos de idade, a única coisa que Betina precisa fazer é encontrar o responsável por ter destruído sua família na noite que daria início à sua próspera carreira como pintora. Agora longe dos pincéis e das paletas, ela está focada em terminar a primeira graduação e procurar na justiça um pouco de consolo para o caos que o seu passado ainda traz. Ao lado de seus amigos e sob o teto de uma tia que a detesta, ela perceberá de que cores as pessoas são feitas, e do quanto é realmente necessário olhar para dentro de tudo aquilo que a assombra, mesmo que para isso precise passar por uma inesperada decepção.
RESENHA
Eu já tinha falado um pouco sobre esse livro nas nossas Primeiras Impressões, Um pouco da história vou deixar na sinopse mesmo mas sem muitos spoilers aqui, como sempre. Essa história merece ser lida com suas surpresas, frases e momentos inesperados. Betina é uma moça talentosa que sente as cores de uma forma diferente muito antes do acidente de carro que matou seus pais e curiosamente a manteve viva num lago congelante. Ela, que sempre amou o amarelo e tinha o apelido de Amarelinha se encontra numa escala sem fim entre cinza e preto. Além de não conseguir ter encontrado o verdadeiro responsável pela morte dos pais, ela precisa conviver e sobreviver a um ambiente doméstico não muito agradável e o luto muito presente e estável em sua vida juntamente com a graduação. Mas ela estava conseguindo levar a vida muito bem... Ou não estava? Até que um médico aparece em sua vida e parece levantar tudo para o ar. Será possível ser feliz novamente? Será que é possível encontrar alguém que possa colorir com todas as cores boas sua vida mais uma vez?
O que é bonito não precisa de retoques, pode ter qualquer aparência, pois o que está escondido por trás do que se vê, é onde justamente ele se mostra mais bonito.

Betina é uma personagem muito sensível em relação às cores e a forma com que elas afetam e como ela as vê é uma das coisas mais bonitas de serem lidas e descritas. Ela sente a cor na pele, ela pode falar que você é muito rosa, laranja ou azul, verde e transparecer marrom. É lindo, é poético e além de tudo, é muito natural para ela. Nicolas é um médico bonitão que surge para transformar tudo que você pensava que era um cara tudibom, porque ele tem seus defeitos, mas ele luta para fazer as coisas darem certo além de naturalmente se encaixar na história. Ele é cativante, engraçado, bonito e simpático. Gosto como a autora deixa algumas coisas frisadas - Nicolas não é o cara típico dos livros eróticos, por exemplo, não tem barriga tanquinho e não é o mais bonito do universo, mas acredite em mim que mesmo sem vê-lo você já vai achar isso sim. Paola é uma amiga que você quer ter, ela é engraçada, direta e reta. Ela está ali para todos os momentos, bons e ruins, apesar de lidar de forma diferente com eles e sinceramente, eu sentia como se ela falasse algumas coisas direto pra mim ou eu falasse algumas coisas exatamente como ela. Caio é o amigo que tenta trazer mais brilho para a vida de Betina, super pra frente, e que também tem alguns medos como nossa protagonista mas ele aprende a lidar com eles. Cecília é odiável. É o máximo que posso dizer. Mas ainda assim, eu sinto como se houvessem pessoas vingativas como ela, que guardam tanta mágoa a ponto de querer machucar muito alguém que é inocente na história... É bem complicado.
As pessoas sentem muito, mas nunca mais do que nós mesmos.

A história é tão boa, tão real e os capítulos tem uma agilidade própria que faz a leitura ser fluida e você querer terminar o livro loguinho porque a cada capítulo você vai se prendendo mais à Betina. Você precisa saber o que está acontecendo, você precisa disso porque bate a curiosidade, bate a vontade de ler, bate aquela intimidade com as personagens a ponto de revirar os olhos, chorar, arrepiar, sentir junto com eles o que eles estão sentindo. É poético? Parece, né? Mas tem música, tem arte, tem coração. Tem tanto quote lindo que eu vou ter que fazer uma postagem especial justamente por isso. NOPD é o livro que você precisa ler para ter uma visão do que geralmente a gente acha que não está acontecendo na casa do vizinho, porque uma pessoa é tão na sua ou porque ela precisa agir de determinada forma. Amanda nos traz vários questionamentos e uma vontade de ajudar, uma vontade de mudar e não machucar mais ninguém. Não são só palavras, tá, gente? Não é só maltrato físico, ok?
O sempre tem aquilo de achar que será para sempre, até que, de repente, vira um nunca. Até o sempre se engana.

E aqui deixo meus parabéns tanto para Amanda quanto para Nohane (A Ordem) por levantarem questões que estão no meio da gente e nos fazer abrir os olhos para isso. Precisamos olhar para dentro, por mais dor que possamos sentir, por mais coisas ruins que podemos voltar a ver... Precisamos olhar para dentro para crescer, para reinventar a história, para se renovar. É incrível! Foi um dos livros que eu li esse ano que me fizeram pensar bastante e me entregar à história,  um dos melhores do meu ano e - por que não? - da vida. Obrigada por essa história que, no momento, considero a mais especial de suas histórias, Amanda, obrigada pelas suas cores e pelas suas palavras. Fico muito feliz de que a escolhida para contar a história de Betina, como você disse, foi você. Eu senti a personagem, eu podia sentir suas cores... E não é o que todos precisamos?
Não somos peças de um quebra-cabeça, mas de um jeito esquisito, talvez existam pessoas que foram mesmo feitas para estarem juntas. Eu sou um quebra-cabeças com poucas peças encaixadas, no entanto.

Precisamos de cores, de todas elas, para construir o amanhã, precisamos de cores e sabores nas nossas vidas para dizer um sim ou um não, para aprender o poder que ações e consequências tem na nossa vida... É um livro que, apesar de ter terminado, ainda continua ecoando suas palavras no meu coração... E o que deixo para vocês é: olhe para dentro. Você pode se surpreender com o que vai encontrar aí.😊





Você também pode gostar de:

4 comentários

  1. Oiii Pam

    Fico super feliz em saber o quanto a história mexeu com você, sempre bom terminar o livro e poder dizer "esse vai pros melhores do ano". Eu consegui esse livro em digital pela Amazon, em uma promo, mas a quantidade de páginas e a falta de tempo complicam... Vamos ver quando vou conseguir conferir...

    Beijokas

    aliceandthebooks.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lice <3

      Obrigada! *-* É tão boa ter leituras maravilhosas que ficam no nosso coração, né?Te entendo.. a leitura não é tão demorada e é uma delicinha viu <3

      quando conseguir conferir me conta o que achou também <3

      beijocas

      Excluir
  2. Oie
    Uau, que resenha linda e cheia de sentimentos, dá para perceber que vc curtiu a leitura. Estou com este livro já no kindle para ler, pretendo fazer isso em breve, só vejo comentários positivos sobre a obra.

    Beijinhos
    https://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrgada -*-*
      eu me senti exatamente dessa forma, Nessa <3
      leia sim, por favor! Hoje ficou de graça de novo!

      beijocas

      Excluir

NEWSletter

Blog Archive