Words Challenge 2022 - Melhor Amigo

Postado em 7 de janeiro de 2022 às 06:12

Hey cupcakes! Como vocês já sabem, eu e a Alê do blog Estante da Alê anualmente preparamos com muito carinho um desafio de palavras durante o ano todo, onde podemos nos desafiar e trazer um texto diferenciado no conteúdo dos nossos blogs. No ano de 2021, fizemos alguns clichês que amamos - cada mês um tema. E, nesse ano, os clichês continuam, porque tem muito clichê! 😂😍Os temas são diferentes e esperamos que vocês possam curtir e continuar nos acompanhando no Insta Rascunhando Memórias. Que tal conferir o nosso tema da vez na minha versão de Melhor Amigo?

words challenge 2022 melhor amigo texto pessoal

Continue lendo para conferir!

Põe pra tocar: Years - Astrid S

melhor amigo years astrid
Elenco:
Personagem Masculino: André Silva
Personagem FemininaPérola Faria

Palavras:
abrigo, espirro, xadrez, mesa, doçura, blusa
— Fer, atende pra mim? Eu só... Eu preciso tomar um banho. Minha.. Cabeça não tá legal.

Assinto, sentindo o peito apertar ao vê-la levar a toalha e as roupas para se trocar. O rosto manchado de lágrimas e mordendo o lábio rosado, segurando o choro outra vez.

Céus.

Eu faria qualquer coisa por essa mulher. Qualquer coisa para não vê-la chorar outra vez por causa do... Namorado.

Tento ignorar essa palavra, como finjo que ela não tem efeito nenhum sobre mim. Finjo que, toda vez que ela me procura como abrigo para as suas brigas, refúgio dos seus medos e confissões dos seus anseios, eu não me sinto mais que o mero amigo. Ah, claro. Melhor amigo. Quando, na verdade, eu faria de tudo para ser muito mais que isso.

Só que ela já deixou isso bem claro quando apareceu com Igor, o namorado maravilhoso. Perfeito.

Loiro, alto, bonito e "sensual".

Tudo isso no início.

Só de lembrar isso eu tenho vontade de estrangulá-lo. Festas. Casa dos amigos. Noites de pizza. A
companhia perfeita. O homem que ela pediu a Deus.

Só que aos poucos, algo começou a ruir naqueles olhos brilhantes que eu sempre amei.

As ligações que ele não atendia. O celular que ela segurava até dormir esperando por respostas. Muitas noites sozinha, trocando mensagens comigo até que eu não obtivesse mais nenhuma visualização no aplicativo.
E, o cara "perfeito", começou a deixar ela de lado. Começou a chegar tarde, várias noites cheirando a cigarro e sabe-se lá Deus o quê e de onde.
Aqueles olhos cor de jabuticaba começaram a brilhar com as lágrimas, o rosto começou a ficar apagado pelo sentimento de culpa ao achar que tinha feito algo errado em sua falta de habilidade para pratos elaborados na cozinha ou ainda, — e eu não sabia onde esconder a vergonha — na cama.
— Alô?

— Bianca?

— Não. É o Fernando. Quem gostaria de falar com ela?

— Ah... Oi Fernando. É o Igor. Posso falar com a Bianca?

— Hm... — Olho para a porta do banheiro, morrendo de vontade de falar umas boas verdades para esse cara, mas mordendo a língua. — Na verdade, agora não pode. Ela tá no banho.

— Banho? O que você tá fazendo com ela, mano? Tá maluco? Ela é minha namorada. — A voz dele parecia alterada.

O sentimento de posse que ele não percebia estar perdendo aos poucos, destruindo com atitudes a confiança, paixão e entrega que ela deu a ele por livre e espontânea vontade.

— Eu não tô fazendo nada com ela, se liga. — Dou uma risada amarga e sinto o gosto do meu ciúme na
língua. Esse é um sentimento amargo que amarra a boca e ferra com o seu coração. — Na verdade, eu só tô fazendo com ela o que você deveria estar fazendo: cuidando bem e mimando essa mulher do jeito que ela merece, enquanto você tá sempre fora. — Acrescento mais por minha vontade de menino mimado: — E fale rápido que daqui a pouco vamos comer pudim.

Olho para a mesa e o doce coberto pela embalagem. Claro que eu iria usar qualquer artifício para roubar o sorriso dela. Comprar o pudim na padaria aqui perto de casa, assim que ela falou que estava vindo pra cá, eu nem conto como tentativa. É algo que sempre faço por ela.

— Eu não... Eu não queria que estivéssemos assim. Mas pede pra ela voltar pra casa... Por favor, Fernando. — A voz dele parece... Diferente.
Encaro a porta do banheiro e reviro os olhos para a voz do outro lado da linha quando ouço um espirro no fundo da linha. E eles não tem animal de estimação.
Sinto minhas unhas apertarem a palma, de tanta força que faço.

— Cara, não fode com a cabeça dela hoje, tá? Eu só espero que você não esteja fazendo nenhuma besteira. — Ouço a porta do banheiro destrancar. O secador ligado. — Eu vou falar que você está com saudade, mas agora preciso desligar. E um conselho? Sorte a sua que entre a gente não foi nada além de amizade. Porque se fosse, meu amigo... — Ele sabe muito bem que não somos amigos. — Eu pensaria em mil maneiras de fazê-la querer ficar. Eu faria questão de não perder essa mulher.

Aperto o botão e desligo o telefone. Só não jogo o aparelho longe porque o celular é dela.

A pálpebra treme exatamente quando ela abre a porta do banheiro vestindo uma velha blusa xadrez que dei de presente há alguns anos. E é a coisa mais sexy que eu já vi — o short por baixo é curto ou a blusa que é muito grande. Gosto de cada centímetro de pele descoberta que ela tem a liberdade de usar perto de mim. Por mais que isso me doa fisicamente em algum momento e...

Foco, Fernando.

Ela analisa meu rosto e engulo seco, porque sei que sou um péssimo mentiroso e ela consegue reconhecer isso em mim.

Bianca vem em minha direção e se ajoelha antes mesmo que eu possa me levantar do sofá.

— O que aconteceu, Fer? Eu conheço essa carinha. — Ela me olha com doçura e eu me derreto, mas tento não demonstrar o efeito que tem sobre mim. Ela desliza os dedos e joga meu cabelo pra trás, um gesto que sempre mexeu comigo e que ela sempre fez. Eu tô tão ferrado na mão dessa mulher...

— Ele ligou... Tá com saudade.

Ela continua jogando meu cabelo pra trás e a vejo engolir em seco.

— Eu não posso, Fer. Eu o amo, mas eu não gosto de viver assim.
Palavras podem ferir e machucar quase tanto quanto uma arma afiada. Se tivesse me enfiado uma faca no peito, acho que doeria menos do que ter ouvido que ela o ama, apesar da segunda parte não ter passado despercebida.

— Eu sei, linda, eu sei. — Desvio o olhar e ela não sabe o que fazer com as mãos. Não olho em seus olhos, mas seguro suas mãos e as beijo. Me aproveito desses gestos porque são tudo que eu posso ter dela.

— Ela estava lá?

— Hã?

— Quando ele ligou. — Seus olhos já não estavam mais tão vermelhos. — Ele estava com alguém. Você ouviu alguma coisa?

Assinto e conto quase tudo o que eu falei. Ela não chora, apesar dos seus olhos estarem inchados.

— Eu estava suspeitando... Mas eu não quero mais falar dele hoje, Fer. Na verdade... Pode me ajudar a esquecer dele por essa noite?— Ela me olha com um sorriso frouxo e entrelaça nossos dedos.

Ah, se ela não tivesse namorado... esse convite poderia soar muito mais ousado aos meus ouvidos.
words challenge 2022 melhor amigo texto pessoal


— Vamos comer pudim?

— Só depois do jantar. Eu fiz aquele macarrão na panela de pressão que você ama...

— Com bastante queijo?

Eu sorrio com a animação, o sorriso e a forma como agora ela morde o lábio tentando segurar a ansiedade.

— Com todo queijo que você quiser. E mais ainda. Comprei queijo extra por causa de você.
Ela me olha e lambe os lábios.

— Fernando, pare de falar essas ousadias. — Ela ruboriza e coloca uma mecha de cabelo atrás da orelha. — Assim não vou querer ir embora. — Ela solta uma gargalhada.
— Ué, você não tinha percebido meu plano? Sempre tive essa intenção.
Ah, se ela soubesse minhas reais intenções com ela...
Foco no macarrão, Fernando.

— Então vamos. — Ela levanta e me puxa pela mão para a cozinha, e sinto que posso ir a qualquer lugar que ela quiser que eu esteja para ouvi-la sofrer, chorar, cantar, contar ,sorrir e, quem sabe um dia, deixar se amar.

Por mim, talvez.
• • •

andre silva words challenge 2022 melhor amigo texto pessoal


Você poderá gostar de:

11 comentário (s)

  1. Oi, Pamela. Como vai? Fico boquiaberto com sua criatividade. Vocé e a Alessandra são muito criativas com as palavras, isto não é pra qualquer pessoa. Parabéns menina. O seu talento é facilmente perceptível ao leitor. Ficou ótimo este texto. Abraço!



    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oieeee!!
      AHAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA
      QUE LINDO OBRIGADA!!!!

      Excluir
  2. MACARRÃO COM QUEIJO EXTRA E PUDIM. ESSE É MEU TEXTO. BEIJOS.
    KKKKKKKKKKKKKKKK
    Eu adoro quando você sempre dá seu toque de chef aos textos. Que saudade de escrever e compartilhar com você. Precisamos nos animar a voltar logooooooooo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. AHHHHHHHHHHHHHH EU QUERIA ISSO PRA MIM EU QUERIAAAAAAAAAAAA
      PRECISAMOS SIM POR FAVOR

      Excluir
  3. Oie, eu mesma não teria esse dom, mas ameiiiii o texto!!!

    Bjs

    Imersão Literária

    ResponderExcluir
  4. Olá,
    Que amigo fofo... quem não queria?
    Esse boy aí merece uns tapas.
    E, como sempre, presto atenção nas comidas tudo haha
    Saudades de um pudim, não teve aqui no fim de ano.

    um feliz 2022 tardio e cheio de realizações ;D
    Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  5. Oi Pam! Adorei ler, torcendo pelo Fernando,
    ele merecia uma chance!!
    Amor e amizade dar certo!

    😘💞

    ResponderExcluir
  6. Muito legal esse desafio de vocês e em usar temas clichês, afinal quem não gosta de um clichê? Hehehehe

    https://www.heyimwiththeband.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Ah, e respondendo seu comentário lá do post, eu nunca fui taxada na shein, mas o indicado é comprar até no máximo 200 reais, acima disso a chance de ser taxada é mais alta, mas abaixo é mais garantido que dê tudo certo :)

    https://www.heyimwiththeband.com.br/

    ResponderExcluir