[RESENHA] O Impulso, de Ashley Audrain

Postado em 20 de janeiro de 2021 às 05:44

Hey cupcakes! Como vocês estão? Hoje é dia de resenha do livro O Impulso, do autora Ashley Audrain, publicado pela Editora Paralela no final de 2020.

Título: O Impulso (The Push)
Série: -
Volume: 1
Autor(a): Ashley Audrain
Páginas: 328
Editora: Paralela
Gênero: Drama Psicológico / Thriller / Literatura Estrangeira

SinopseO que você faria se seus filhos não fossem quem você esperava? O impulso é o romance mais viciante do ano, uma leitura que irá questionar tudo o que assumimos sobre maternidade, sobre aquilo que devemos aos nossos filhos e sobre o que acontece quando deixamos de acreditar em mulheres cujas histórias são incômodas.

Blythe Connor está decidida a ser a mãe perfeita, calorosa e acolhedora que nunca teve. Porém, no começo exaustivo da maternidade, ela descobre que sua filha Violet não se comporta como a maioria das crianças. Ou ela estaria imaginando? Seu marido Fox está certo de que é tudo fruto do cansaço e que essa é apenas uma fase difícil.
Conforme seus medos são ignorados, Blythe começa a duvidar da própria sanidade. Mas quando nasce Sam, o segundo filho do casal, a experiência de Blythe é completamente diferente, e até Violet parece se dar bem com o irmãozinho. Bem no momento em que a vida parecia estar finalmente se ajustando, um grave acidente faz tudo sair dos trilhos, e Blythe é obrigada a confrontar a verdade.
Neste eletrizante romance de estreia, Ashley Audrain escreve com maestria sobre o que os laços de família escondem e os dilemas invisíveis da maternidade, nos convidando a refletir: até onde precisamos ir para questionar aquilo em que acreditamos?

Continue lendo para conferir a resenha!

RESENHA 

O Impulso é o lançamento do ano da Editora Paralela e com um tema um pouco diferente, nos traz uma faceta não muito comum e não muito divulgada da maternidade. Aqui vamos conhecer Blythe Connor, uma moça que teve uma infância difícil, marcada pelo apego quase inexistente da mãe e um passado assombrado pelo amor, ou até ouso dizer, pela falta dele. Agora com uma nova família, ela pretende ser a mãe que nunca foi, mas quando fica grávida, se depara com uma faceta que não estava esperando encontrar. Principalmente quando a pequena nasce e Blythe descobre que tudo que vinha sentindo certamente tem um porquê mais obscuro do que estava esperando.   
Todos temos o direito de alimentar certas expectativas em relação aos outros e a nós mesmo. Com a maternidade, não é diferente. Todos esperamos ter uma boa mãe, nos casar com uma boa mãe, ser uma boa mãe.
Pág. 15
O Impulso é um livro interessante e que vai te fazer ficar em dúvida, tentar ligar as peças do quebra cabeça do início ao fim - afinal, não podemos ignorar que uma narrativa em primeira pessoa sempre tem os anseios, medos e ponto de vista do narrador. Mas pode ser a verdade o que foi visto diante dos olhos da nossa narradora? É real? Em quem você deve acreditar? A autora tem uma narrativa muito gostosa e que te deixa ávido para saber o que vai acontecer - em primeira pessoa, ela nos traz todos os medos, anseios e pontos de vista de Blythe, além de intercalar um pouco com o passado para entender um pouco de onde a personagem veio e tudo que aconteceu até agora, a fim de o leitor ficar inteirado também. A escrita te deixa curioso/a, porque você fica esperando pelo cliffhanger chegar no final de cada capítulo.  
Dizem que os dias são longos, mas os anos passam rápido.
Pág. 54
A leitura, confesso, me fez passar mal, de certa forma: meu coração acelerou, acredito que pela ansiedade que fiquei com os acontecimentos, revirou meu estômago e fiquei um pouco zonza. Eu já tive essa experiência com alguns outros livros e isso ocorreu devido a algumas descrições, nuas, cruas e diretas. Se você está em um momento não muito propício para leituras que podem ser mais cruas no quesito de sangue, descrições de procedimentos médicos, etc. recomendo esperar um pouco
As frases jorravam de mim. Eu não me lembrava de outro momento em que as palavras fluíssem com tanta facilidade.
Pág. 67
A autora escreve de forma muito visual: parece um filme de verdade o que passou na minha cabeça. Talvez pela forma direta de escrita? Talvez. Talvez por ela falar com alguém durante a narrativa? Sim, pode ser também. Você visualiza as cenas de forma muito fácil e isso ajuda a continuar de onde você parou - isso é, se você conseguir largar o livro, uma vez que você fica muito curioso/a para o plot da leitura. E a autora deixa muitas frases de impacto e meu livro ficou todinho riscado rs
Eu queria não precisar recorrer somente às lembranças, mas é assim. Algumas pessoas enquadram sua perspectiva do passado com a ajuda de velhas fotografias ou das mesmas histórias contadas mil vezes por alguém que os ama.
Pág. 97

PODE CONTER SPOILERS

Confesso que há um, ou alguns pontos, em meu ponto de vista, que eu esperava algo diferente. Por exemplo, existe o gaslighting, eu esperava que ele aparecesse mais, porém o foco da narrativa e a justificativa, não fica no homem ou no que ele faz com a mulher, mas sim na culpa de alguém que não teria culpa. Acho, de verdade, muito difícil a enormidade e justificativa desse livro, como um todo, ser aquilo que aconteceu na última página, de verdade. Em meu ponto de vista, a justificativa dada pela autora foi rasa, por mais que tenha ocorrido tudo que ocorreu - não fez sentido na minha cabeça. Sei que é ficção e pode até ser uma justificativa plausível para a história, mas não vejo como poderia ter sido arquitetado todo o plano desse jeito para o que ocorreu, sabe?

Também por esse motivo tirei uma estrelinha. Esperava que fosse diferente o ponto alto da história, porque em dado momento, parece que ele nunca vai chegar e quando chega, ao mesmo tempo que é, de certa forma, uma surpresa, também fiquei: poxa, mas... ? Ali em cima eu disse que fica-se esperando pelo momento chegar, mas a impressão que tenho é que ele não chega. Nem com o final do livro que deveria ser chocante, mas... Simplesmente não entra na minha cabeça que aquela foi o porquê.

ACABARAM OS SPOILERS
Há dias, como aquele, que marcam os momentos em nossa vida que mudam quem somos.
Pág. 216
Outro ponto interessante é que ele vai ser adaptado e já teve seus direitos vendidos para diversos países. Sem dúvida, a adaptação vai complementar as cenas que muitas vezes, deixam o leitor na dúvida... Não, ela não viu isso... Ou sim, ela viu exatamente isso
O coração de uma mãe se parte de um milhão de maneiras em sua vida.
Pág. 195
A capa do livro está linda e super tem a ver com a história - o trabalho da editora está um capricho, pois além da capa, as margens estão ótimas, páginas de papel pólen amarelinhas para ajudar nos olhinhos, uma fonte boa e uma diagramação limpa. Recebemos a prova antecipada e alguns errinhos, mas não foram tantos. Adorei participar dessa prova! Foi uma ótima experiência pela forma como foi divulgado pela editora para os parceiros e depois como eles estão trazendo em suas redes sociais também.
Esses deslizes de comportamento são deliberados e perceptíveis. Eles se alimentam do que já foi.
Pág. 208
Com um thriller psicológico, além de um drama que vai sendo construído ao longo da narrativa, O Impulso traz temas que são pouco retratados em todas as histórias e certamente um debate que pode dar o que falar: gaslighting, maternidade, perdão, a influência da família mais próxima na construção do nosso caráter, conflito entre marido e mulher, a relação entre mãe e filho/a, a voz da mulher. Temos culpa daquilo que somos? Como nos tornamos quem nos tornamos, isto é, quais são as influências que sofremos para sermos assim? Ou tudo isso pode ser apenas a nossa personalidade? O Impulso traz essas e mais questões para a gente se colocar no lugar e pensar em como seria estar no lugar de Blythe... Ou no outro lado da história. Se você leu Garota Exemplar, Verity ou viu um pouco de The Undoing e achou interessante, certamente pode encontrar alguns pontos para se pensar nessa história também.


Classificação:⭐⭐⭐⭐

Livro Físico / Ebook





Você poderá gostar de:

7 comentário (s)

  1. Oi, Pâmela. Tudo bem? Este livro está na minha lista de futuras leituras. Que bom que gostou, embora não fosse como você esperava. Ótima resenha. Abraço!


    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Oi.
    Achei que já tinha comentado aqui sobre esse livro mas, vi que não rsrsrs
    Vi esse livro em outros lugares essa semana, amei saber que leu e eu amei a capa, achei bem bonita e a diagramação boa. O assunto me deixou curiosa e gostei muito.

    Há! Você perguntou se tenho Skoob, eu tenho sim e você até me lembrou para atualizar, eu sempre esqueço.

    Meu skoob é: Vanessa.Ferreira (https://www.skoob.com.br/usuario/5937650-vanessaferreira)

    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. não hehehehe
      É interessante, né?
      Um tema diferente....

      Obrigada Van!!!

      Excluir
  3. Oi Pamela,

    O pessoal está falando bem desse novo livro.
    Confesso que me lembrou um vibe meio ''Verity" e por isso fiquei curiosa em ler.
    Que bom que você gostou da leitura e ela te trouxe um mix de sentimentos e reflexões.
    Vou anotar para ler futuramente.

    Bjs
    https://diariodoslivrosblog.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato!!! Me lembrou a ideia de Verity também!!!
      O desenvolvimento é bem diferente, mas lembra em parte sim hehehe

      Excluir
  4. Oi Pâm,
    Eu já tinha visto essa capa pelas redes e amei, mas não tinha me aprofundado na sinopse, sou dessas, gosto da surpresa. Amei ler sua resenha, a premissa é muito bacana, e já fiquei curiosa.

    Beijokas - Paraiso das Ideias

    ResponderExcluir