[RESENHA] Punk 57, de Penelope Douglas

Postado em 5 de agosto de 2020 às 05:00

Hey cupcakes! Hoje trago uma pequena resenha do livro Punk 57 de Penelope Douglas disponível no  Kindle Unlimited, outra indicação da Alê, do blog Estante da Alê. Que tal conferir?


punk 57 penelope douglas
Título: Punk 57
Série: -
Volume: 1
Autor: Penelope Douglas
Páginas: 324
Editora: The Gift Box
Gênero: Romance / Ficção / Literatura Estrangeira

Sinopse:  “Nós éramos perfeitos juntos. Até nos conhecermos. 

Misha

Não posso deixar de sorrir com a letra da música em sua carta. Ela sente a minha falta. Na quinta série, minha professora organizou duplas com colegas de uma escola diferente. Pensando que eu era uma menina – por causa do meu nome – a outra professora me juntou com a sua aluna, Ryen. Minha professora – acreditando que Ryen era um garoto – concordou. Não demorou muito para descobrirmos o erro. E, em pouco tempo, estávamos discutindo sobre tudo. A melhor pizza para viagem. Android vs. iPhone. Se Eminem é ou não o melhor rapper de todos os tempos... E foi assim que começou. Nos sete anos seguintes, éramos só nós. Suas cartas são sempre escritas em papel preto com caneta prateada. Às vezes, recebo uma por semana ou três em um dia, mas eu preciso delas. Ela é a única que me mantém nos eixos, me acalma e aceita quem eu sou por inteiro. Nós só tínhamos três regras: nada de redes sociais, sem números de telefone e nenhuma fotografia. Nós tínhamos um lance bacana. Por que arruinar isso? Até eu deparar com uma foto de uma garota, online. Com o nome de Ryen, que ama a pizza do “Gallo” e idolatra seu iPhone. Quais eram as chances? Que se f*da. Preciso encontrá-la. Só não imaginava que odiaria o que descobri. 

Ryen

Ele não escreve há três meses. Algo não está certo. Ele morreu? Foi preso? Conhecendo Misha, nem um dos dois seria um exagero. Sem ele por perto, estou ficando maluca. Preciso saber que alguém está me ouvindo. A culpa é minha. Devia ter pedido seu número de telefone, foto ou algo assim. Ele podia ter sumido para sempre. Ou poderia estar bem debaixo do meu nariz, e eu nem sequer desconfiava.

Continue lendo para conferir a resenha completa sem spoilers!
RESENHA
Punk 57 foi minha melhor experiência até o momento com a Penelope Douglas e me deixou de bem com a autora novamente. 
punk 57 penelope douglas

Aqui, vamos conhecer Misha e Ryen que se comunicam por cartas desde crianças, quando tiveram que fazer um trabalho e ambas as professoras de cada um pensava que o outro era uma menina/o e não acertaram nisso, mas acertaram na amizade que se desenvolveu ao longo dos anos através das palavras. Mas eles fizeram um acordo entre si: a amizade continuaria ali, nos sentimentos e no papel, mas nada de redes sociais, telefone ou se ver. Esse era o acordo.  Mas uma noite em uma festa pode mudar tudo e deixar os dias mais difíceis e as respostas tão importantes para Ryen mais... Espaçadas. Ela, no entanto, continua com sua promessa... Até um cara novo e um misterioso pichador começar a revelar alguns segredos na escola. Pode ele ser confiável? 
É engraçado. Faz tanto tempo que queria que tudo mudasse na minha vida e quando finalmente está pra acontecer, meu desejo de fugir diminui. Acho que é por isso que as pessoas ficam infelizes durante muito tempo, sabe? Triste ou não, é mais fácil ficar com o que é familiar.
Ryen é cheia de inseguranças e acaba por esconder isso atrás de uma máscara de megera que não pode ser domada - ela representa muitos de nós, que às vezes sentimos que precisamos fazer isso para nos sentir parte de algo ou esconder a nossa própria miséria. Misha precisa ser forte e acaba por se tornar assim através de palavras recebidas e as mesmas que ele utiliza em suas canções - a música é sua válvula de escape. JD, Ten e Cortez me lembraram alguns personagens de 13 Reasons Why: fortes e fracos, que são diminuídos ou diminuem os outros para se sentirem melhor, mas que também enxergam e se veem mudando gradualmente conforme os acontecimentos fluem durante o livro. 
Aprendi há muito tempo que você não precisa revelar tudo de si para as pessoas ao seu redor. Eles gostam de julgar e sou mais feliz quando não fazem isso. Algumas coisas ficam escondidas.
Gostei do desenvolvimento do livro - para mim, foi muito melhor que Birthday Girl. Achei mais gostoso de acompanhar, com vários acontecimentos ao mesmo tempo que davam um toque de aventura, o quê de proibido, um pequeno mistério e um romance de desenrolando no ar, faziam as páginas passarem mais rápido do que eu poderia imaginar.
O mundo nem sempre é o que está bem à sua frente, sabe? Está abaixo, acima, está lá fora em algum lugar. Cada luz acesa, queimando dentro de cada casa que vejo quando olho para baixo do telhado tem uma história. Às vezes precisamos apenas mudar nossa perspectiva.
Eu classificaria ele como Young Adult, apesar de algumas muitas cenas estarem longe disso - cenas calientes. É interessante como a história parece ser leve e consegue colocar um drama contundente ali. Gostei bastante. Algo que realmente me incomodou foi a revisão da The Gift. De verdade, acho que eles poderiam verificar algumas frases que não ficam naturais quando traduzidas ao pé da letra - em diversas vezes vi a falta de revisão para frases que ficam peculiares no vocabulário e na escrita. Não é a primeira vez que me deparo com esse ponto e me fez cair meia estrelinha no livro.
Somos todos feios, Ryen. A única diferença é que alguns escondem a feiura e alguns a usam.
De restante, Punk 57 é um livro diferente, um romance bonito e interessante de se acompanhar, segredos, cartas e palavras que mudam, destroem e reconstroem os personagens. Que tal conferir? Já conheciam a autora e se aventuraram por alguma obra dela?

Classificação: ⭐⭐⭐⭐(4,5)



Também disponível no Kindle Unlimited!

Você poderá gostar de:

8 comentário (s)

  1. hola, no la conocía y tiene muy buena pinta, me la anoto ❤️❤️❤️

    ResponderExcluir
  2. Oi, Pâmela como vai? Que bom que a leitura lhe agradou. Eu não li nenhum livro da autora. Essa questão da tradução ao pé da letra gera desconforto mesmo, infelizmente. Parece um livro muito bom, bem desenvolvido. Abraço!

    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Oie, tudo bem?
    Ainda não conhecia, valeu pela dica!
    Blog Entrelinhas

    ResponderExcluir
  4. EU AMO ESSE LIVRO E NÃO É POUCO!
    Para mim, o melhor livro da Penelope Douglas, sem dúvida!
    Não queria que a história chegasse ao fim, de tão envolvida que eu estava! kkkk
    beeeijos Pamzinha
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir