[RESENHA] O Cavaleiro de Bronze: Leningrado - Livro I, de Paullina Simons

Postado em 18 de março de 2020 às 05:29

Hey cupcakes! Hoje é dia de resenha do primeiro livro da trilogia Cavaleiro de Bronze da autora Paullina Simons publicado pela Novo Século. Essa resenha não terá spoilers!

O cavaleiro de bronze paullina simons
Título: Leningrado
Série: Cavaleiro de Bronze
Volume: 1
Autor: Paullina Simons
Páginas: 504
Editora: Novo Século
Gênero: Romance / Segunda Guerra / Literatura Estrangeira
Sinopse: A Segunda Guerra Mundial ainda não havia alcançado a cidade de Leningrado, onde as duas irmãs Tatiana e Dasha Metanova viviam, dividindo um pequeno cômodo com seu irmão, seus pais e avós. Tudo muda quando as tropas de Hitler atacam a União Soviética e ameaçam invadir a grande, mas decadente, cidade. Fome, desespero e medo tomam conta de Leningrado, durante o terrível inverno no qual a cidade foi submetida ao cerco alemão. No entanto, a luz do amor é sempre capaz de iluminar a mais profunda escuridão. Tatiana conhece Alexander, um jovem e corajoso oficial do Exército Vermelho. O rapaz, forte, confiante e guardando um passado misterioso e problemático, e sente-se atraído por Tatiana — e ela por ele. O amor impossível de Tatiana e Alexander ameaça agora dividir a família Metanova. E que segredo é esse que se esconde no passado do soldado, tão devastador quanto a própria guerra?

Continue lendo para conferir a resenha sem spoilers!
RESENHA

Leningrado é o primeiro livro da trilogia Cavaleiro de Bronze da autora Paullina Simons publicado pela editora Novo Século. Uma história evolutiva com um turbilhão de emoções que você vai sentir ao ler e que se passa durante a Segunda Guerra Mundial, mas se inicia na Rússia, onde vamos acompanhar a família Metanova e a nossa protagonista Tatiana, também chamada de Tania, Tatiasha, e outros tantos apelidos russos que são do nome próprio dela. Apesar de ser protagonista do livro, quase não é uma: Tania é a doce garota que ajuda a todos e pouco é ajudada, mesmo que em sua casa tenham muitas mãos, poucas são as que querem dá-la.
De todo modo, acho que a paciência é uma virtude superestimada.
pág. 101
Ela vive com a irmã, os pais, o irmão gêmeo e avós em uma pequena casa em Leningrado, e está tudo caminhando quando as tropas nazistas atacam a União Soviética e o caos começa a ser instaurado, com a escassez de alimentos, a fome, o medo, bombas e todos os horrores da guerra que começam a assolar as famílias, que são todos inocentes em meio a tudo. Só que algo de bom acontece: Tatiana conhece Alexander, um soldado do Exército Vermelho educado, compassivo e justo, quando vai buscar alimento para sua família e experimenta seu sorvete favorito... Só que o que ela não esperava era se sentir tão atraída por ele e seu passado misterioso. E muito menos que ele fosse o namorado de sua irmã. Pode o amor sobreviver à guerra e aos obstáculos? E ser mesmo amor?
Amor é quando ele tem fome e você o alimenta. Amor é saber quando ele tem fome.
pág. 155
Tatiana é uma jovem doce e por querer sempre ajudar ao próximo, ela acaba se doando demais e às vezes sendo boba de sua própria família que deveria ajudá-la. Ela tem um coração de ouro, e sinceramente, é uma das personagens mais fortes que já conheci e que mais cresce quando entende que precisa crescer para ajudar os outros. É aquela mocinha que você gosta e torce junto. Alexander é um mistério que vamos desvendando aos poucos e é delicioso desvendá-lo por suas atitudes e por tudo que ele é. Não consegui gostar de Dasha até certo ponto da narrativa, sempre a vi como a irmã invejosa e mimizenta que tem tudo e não quer abrir mão de nada. E os pais de Tatiana... Ah, por favor. Contudo, parece que toda a história casa, sabe? Se fosse de outra maneira, não seria tão bom.
Guerra era como o tempo, sempre havia assunto.
pág. 232
Aqui vai uma confissão: apesar da premissa interessante, o primeiro livro demora a engatar e por isso tirei uma estrela. Mas eu já tinha lido algumas resenhas e muitas pessoas diziam que, depois que começava a engatar, você precisava ter os três livros, porque é tudo viciante e foi "batata": depois de aproximadamente 30% de Leningrado, eu simplesmente não conseguia mais largar o livro. A escrita de Paullina Simons é envolvente, ela te inteira nas cenas de guerra, você se sente vivendo na Rússia, ouvindo o barulho das bombas, sentindo o terror assolar seu coração.
Nunca comprometa o que o seu coração diz ser correto, minha neta.
pág. 245
O livro é detalhado nas cenas e dão agonia em certo momento da narrativa porque você sabe que podem muito bem ter sido reais (e acredito piamente que tenham sido). Não são tão impossíveis assim de terem acontecido. A autora nos imerge na época, na história e simplesmente é difícil abandonar. Deixa eu te contar uma coisa? As coisas não acontecem do jeito que você imagina e a surpresa é outro ponto maravilhoso dessa história.
- Shura, como é possível que não haja neste mundo um único lugar para irmos? Que vida é esta?
- A vida comunista.
pág. 310
Não existem muitos problemas de revisão nesse livro, mas um problema é não ter o segundo volume se você engatar o primeiro. Gostei bastante das frases impactantes e me senti muito tocada durante o livro: isso me inspirou a escrever dois challenges aqui do blog, aliás. E é por esses e outros motivos que eu super indico a leitura dessa série como um todo. E vocês, já leram? Indicam algum livro com o tema de Segunda Guerra Mundial? Me contem!

Classificação: ⭐⭐⭐⭐


Você poderá gostar de:

2 comentário (s)

  1. Oi, Pâmela como vai? Não conhecia o livro e parece ser excelente. A parte incômoda é que, por ser trilogia acaba por deixar o leitor ansioso para terminar logo o desfecho da obra. De todo modo me parece ser um tipo de leitura muito agradável. Abraço!


    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E o pior dessa é que tem que ler todos de uma vez porque é muito bom kkkkkkkk

      Excluir