[RESENHA] A Montanha da Lua #1, de Mari Scotti

Postado em 26 de janeiro de 2017 às 10:17 por

Hey cupcakes! Hoje é dia de uma resenha da literatura nacional e está disponível na Amazon para leitura. Que tal vir conferir o que eu achei desse romance de época da Mari Scotti?

É o que fazemos quando amamos muito alguém. Tiramos a nossa felicidade para vê-lo feliz, bem.
Sinopse: Há séculos, uma verdade acompanha cada herdeiro do ducado de Bousquet: A Maldição dos Hallinson’s.
Conta-se que a tragédia os acompanha, levando à morte as esposas em seu primeiro ano de matrimônio. Geração após geração, aprendem sua sina e a regra a seguir para possuir uma união frutífera e longa.
Octávio Hallinson Segundo sofre as consequências de não seguir esses ensinamentos. Viúvo, isolou-se da sociedade, fugindo da responsabilidade de casar-se novamente para providenciar um herdeiro para seu título.
Um homem marcado pela dor.
Mical Baudelaire Nashgan sempre foi uma mulher decidida, enfrentando as ordens de sua tia e negando-se a seguir o protocolo que obrigava mulheres a procurar maridos apenas por posse de títulos e dinheiro e não por amor.
O posicionamento contraditório aos costumes afastou os candidatos, tornando-a uma das únicas solteironas que sua província conheceu. A mais bela dentre elas.
Uma tragédia a coloca frente aos perigos da floresta aos pés da Montanha da Lua e seu futuro torna-se incerto e assustador.

RESENHA

Montanha da Lua é o primeiro livro da série Família Hallinson da autora Mari Scotti, que é a nova parceira do blog. Um romance de época que veio para encantar a todos com sua delicadeza e força das personagens ao mesmo tempo. Vamos lá?
Deveria lembrar-me de que sou a mulher que enfrentou toda uma sociedade para permanecer solteira e não uma donzela em apuros que precisa de um príncipe encantado que a resgate! Inferno! Quando mais tentava raciocinar, maior meu medo se tornava.
Devo dizer que iniciei a leitura sem ler a sinopse e fui descobrindo através das próprias páginas o que me esperava, mas cá estou eu para falar brevemente da história e contar um pouquinho da experiência de leitura.
De certo, antes solteirona do que infeliz.
Mical Baudelaire não é o tipo de protagonista comum. No auge dos seus trinta e poucos anos ela ainda não encontrou um marido que pudesse a fazer feliz, isso tudo porque ela se recusa a fazer parte de um matrimônio arranjado e uma das coisas que mais almeja é se casar por amor. Ela tem força, coragem, tem caráter e um bom coração, além de ser uma ruiva estonteante para a temporada, mesmo que seu début já tenha acontecido um tempo atrás. O que ela não esperava é que um urso pudesse aparecer em sua vida e mudar completamente os rumos da sua vida. Afinal, seu salvador (ou seria seu sequestrador?) é um Hallinson, aquele mesmo que todos diziam muito das maldições que acompanham essa família em que a mulher por quem eles se apaixonam, morrem.
A primeira lição que recebíamos: toda mulher que você amar morrerá. Iniciando por sua mãe.
O problema é que Mical acaba vendo um lado que não esperava daquele homem que a está mantendo viva, alimentando-a e cuidando para que pudesse ser levada para sua mãe novamente assim que o caminho estivesse propício novamente... Mas será que nesse ponto ela queria ir embora? Será que agora não é ele que precisa de ajuda para continuar vivendo? Isso tudo porque ele parece dar uma atenção que nenhum homem jamais lhe deu... Então na verdade, ele não é mau? E o que ele esconde tanto que evita seu passado Hallinson deve ser tão terrível assim? E essa aversão a casamentos por... Amor? Talvez o que Mical possa descobrir do seu "sequestrador" Octávio seja mais que um médico que a salvou de um urso e que precisa de cuidados, não só por ter se machucado ao enfrentar o animal mas também ao enfrentar as próprias adversidades da vida. Será que ela conseguirá curá-lo?
Por que o proibido sempre retorna para atormentar aqueles se empenham em resisti-lo?
Mical lembrou-me em muito a Claire, de Outlander: decidida naquilo que sempre desejou, meio durona mas com o bom coração, e nada dessas frescuras de mimimi que muito a gente vê por aí. Ela vai lá, pronto e acabou. Isso me lembrou a Daphne, de O Duque e Eu, também. Confesso que eu certa parte da leitura eu só continuei por ela, porque ela tem toda uma força e se recusa a desistir. É isso aí, garota!
Talvez fossem as cartas ou o que me disse sobre estar apenas me ajudando, mas senti meu coração parar uma batida quando ele olhou pra mim.
Ao mesmo tempo que em me derreti em doce de leite pelo bonitão achando-o super corajoso por enfrentar o urso e ter um passado sombrio, chegou o drama king da vez, sem dúvidas, que foi o médico misterioso e sexy Octávio. Eu não me conformava em como um homem tão inteligente, um médico, podia acreditar em várias coisas deixando de lado pessoas muito importantes para ele. Sério, eu queria arrancar os cabelos dele em certo momento da narrativa. E confesso que foi o que fez ele se tornar menos atrativo na narração em determinado momento, porque eu ficava inconformada com algumas atitudes que ele tomou. Fala sério, cara! No começo eu queria beijá-lo e no meio da narrativa eu queria mesmo era dar uns bons tapas pra ele acordar pra vida.
É difícil compreender e até aceitar algo do qual não temos certeza e sabia que ele ainda temia por mim.
Por outro lado, a narrativa é muito gostosa e encontrei poucos erros de ortografia, o que auxiliou nesse veredito. A escrita não é difícil de entender e nem muito exagerada, mesmo por se passar em meados de 1800: a autora soube argumentar com os costumes adequados a época, o que se passava com a reputação das mulheres e Mical sendo claramente uma exceção a regra, e ainda, o que a família da moça pensava. Uma coisa interessante sobre os costumes foi o detalhe sem exageros que a Mari deixou com maestria. Há vários segredos que vão sendo descobertos, mais do que se esperava, ao meu ver, e a trama tem um desenrolar todo no seu tempo.
Sou prova viva que a falta é ainda maior quando não conhecemos alguém que deveria fazer parte de nossa vida.
Vale acrescentar que esse é um livo cheio de quotes e virei muito fã da Mical; a autora está de parabéns e quero já conhecer a Noiva Devota, a continuação de Montanha da Lua. Falando em Montanha da Lua, eu não falei nada sobre ela, mas é assim chamado o lugar em que os personagens se encontram pela primeira vez, para não dar mais spoilers. Também quero agradecer à autora pelo exemplar (li em ebook mas isso não atrapalha a leitura, eu acho que até ajuda rs) e pela oportunidade de conhecer esses personagens incríveis! Que venha mais romance de época ;)

O mais importante não é a forma que a vida se apresenta, mas como a aceitamos. 

Você também pode gostar de:

9 comentários

  1. Olá, tudo bem? Que bacana esse livro da autora, eu ainda não o conhecia. Me pareceu uma leitura bem interessante, fiquei curiosa para conferir!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey Lari!
      Tudo bem e com voce?
      Simm, é curtinho e aposto que voce vai curtir :D
      beijocas!

      Excluir
  2. Adorei seus quotes e a resenha! Obrigada pela sinceridade na sua opinião! Só um adendo que nos séculos passados crendices era muito fortes para as pessoas. Daí pensemos em um ogro que tem como herança de família uma das crenças mais fortes da região. Um homem estudado, mas podemos dizer que fanático por algo que ele não pode ver, tocar e nem saber se é real, só pode temer mesmo. Eu adoro! E também queria morrer quando, durante a escrita, ele se acovardava kkkkk.
    Um beijão!
    Espero que curta A noiva devota.
    Mari

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey Mari <3 Obrigada pela oportunidade de leitura!
      Bem... Isso é verdade, mas eu ainda quis estapear ele também KKK mas casos da vida ... rsrs obrigada por me entender rsrsrs
      quero muito a noiva devota e conhecer mais dos Hallinsons lindos <3
      beijocas queridona!

      Excluir
  3. Oi! Desde que descobri que esse livro era um romance de época eu venho tentando ler. Gosto muito do gênero, mas a capa nunca me chamou atenção, então eu fiquei muito ansiosa para descobrir como a autora desenvolve a narrativa de uma história passada no século XXI.
    Beijo! Leitora Encantada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey Miriã!
      Simmm
      voce nao curtiu a capa/ achei elabem interessante...
      Acho que voce pode curtir tambem :D
      beijocas

      Excluir
  4. Oi, Pam, tudo bem? Vim conhecer seu blog, já estou te seguindo e curtindo!!!
    Também super apoio literatura nacional (principalmente depois que virei escritora também, hehe) e esse é um tipo de livro que eu certamente pararia para ler a respeito, por essa capa linda e esse tema instigante.
    Amei os trechos escolhidos, que provam que a autora veio mesmo para ficar. Sua resenha também me encheu os olhos para conhecer esse romance que devia/não devia acontecer, e esse Octávio, ora mau, ora bom, ora despertando atração, ora dando vontade de estapear.
    Adorei conhecer o seu espaço, voltarei mais vezes!
    Ah, e se se quiser também conhecer meu cantinho, seja bem vinda no Spazio di Libri.

    Um abraço,
    Fernanda

    http://spaziodilibri.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey Fer, tudo bom ?
      Vou conhecer seu blog porque já amei seu comentário, viu? A capa linda super influencia tambem HEHEHEH que bacana voce ser escritora, parabéns!!
      vou conhecer seu espaço, e babei doce de leite no seu comentario <3
      beijocas e muito sucesso!

      Excluir

NEWSletter

Blog Archive