Postado em 30 de outubro de 2018 às 07:00

[RESENHA] O sorriso da hiena, de Gustavo Ávila

Hey cupcakes! Hoje é dia de resenha de um livro que li recentemente e fez um estrago no que eu pensava sobre romance policial brasileiro. Vem conferir por quê?
Sinopse: É possível justificar o mal quando há a intenção de fazer o bem? Atormentado por achar que não faz o suficiente para tornar o mundo um lugar melhor, William, um respeitado psicólogo infantil, tem a chance de realizar um estudo que pode ajudar a entender o desenvolvimento da maldade humana. Porém a proposta, feita pelo misterioso David, coloca o psicólogo diante de um complexo dilema moral. Para saber se é um homem cruel por ter testemunhado o brutal assassinato de seus pais quando tinha apenas oito anos, David planeja repetir com outras famílias o mesmo que aconteceu com a sua, dando a William a chance de acompanhar o crescimento das crianças órfãs e descobrir a influência desse trauma no crescimento delas. Mas até onde William será capaz de ir para atingir seus objetivos? Em O sorriso da hiena, Gustavo Ávila cria uma trama complexa de suspense e jogos psicológicos, em uma história que vai manter o leitor fisgado até a última página enquanto acompanha o detetive Artur Veiga nas investigações para desvendar essa série de crimes que está aterrorizando a cidade.
RESENHA
Confesso que comecei a fazer a resenha antes de finalizar o livro. São tantas coisas que gostaria de falar mas que virariam spoiler... Que eu PRECISO falar de algumas coisas sobre como me sinto com essa leitura. E cá estou eu. Para mostrar como fiquei surpresa com a história. Quanto tudo ter acontecido aconteceu.
O que todo mundo afirma ser uma qualidade, mas que a maioria das pessoas não aceita muito bem quando a verdade tem a ver com elas mesmas.
 pág. 21
William é um psicólogo muito renomado mas que tem uma pendência consigo mesmo desde a faculdade: não conseguiu finalizar o estudo do seu TCC onde fazia um estudo sobre a maldade humana, mas não tinha casos e pacientes para acompanhar no período que precisava para ver o quanto dos traumas da infância influenciaram no desenvolvimento pessoal de cada um. Mas agora, com as recentes mortes que vem acontecendo, seria uma oportunidade para concluir seus estudos ou apenas uma oportunidade para satisfazer as vontades de um assassino? David surge com a proposta para William e dois pesos que precisam ser analisados até que ponto valeria a pena matar tantas pessoas a fim de avaliação. E, no meio de tantos planejamentos, detetive Arthur poderia ajudar com as investigações do próximo caso a tempo de salvar a próxima vida da lista? 
O que acontece de maneira maior nada mais é do que o que acontece de maneira menor repetidas vezes.
pág. 35
Em diversos momentos me peguei pensando muito na história. Como diversos elementos se encaixam principalmente no final do livro - deu uma EXPLOSÃO na mente, achei demais! São elementos que passam despercebidos, pelo menos ao meu ver, e surpreendem por todo o peso e surpresa que apresentam na trama e pasme: adquire um peso imenso para tudo que acontece no meio do caminho. As personagens são bem construídas e me apaixonei imensamente por ter um detetive com síndrome de Asperger, por ser irônico sem ser de fato, ser direto e reto e, além disso, ter características pessoais que dificilmente encontramos em personagens da literatura assim - me surpreendeu de uma forma muito positiva. David, o assassino, tem uma mentalidade que pode te fazer questionar o porquê se parece um louco ou realmente é tudo maquinalmente manipulado por ele, na verdade, passa a impressão que ele é normal, mas sabemos muito bem que a cabecinha dele não funciona desse jeito. 
Quando a gente entende a dor, para de sentir medo dela e consegue encará-la de frente, argumentar com ela e fazer com que vá embora, ou pelo menos fique em silêncio.
pág. 123
O autor é muito inteligente e constrói uma trama que te prende. Vi algumas opiniões divergirem, mas por realmente ter ficado presa na história, achei muito intrigante e precisava recomendar para vocês. Gustavo construiu uma trama que faz você mesmo questionar se estivesse no lugar do psicólogo entre o bem e o mal.  Você se pega fazendo teorias e pensando se matar x personagem te faz uma pessoa má. Te surpreende. Te faz questionar exatamente sobre o bem e o mal. Até que ponto fazer algo que, mais tarde, vai beneficiar milhares de pessoas, vale a pena, visto que ainda assim, para atingir o "bem" seja necessário fazer o mal para pessoas inocentes? Mas aí você vai me falar "ninguém é inocente". Realmente. Mas alguém merece isso? E, além disso, essas pessoas são escolhidas de modo aleatório. Não exatamente porque fizeram algo ruim... Elas merecem ser torturadas até à morte? Talvez você possa mesmo se surpreender com a resposta.
[...] a melhor maneira de se sentir seguro é conhecer o lugar onde se está.
pág. 129
Um ponto que não gostei muito, vou deixar em branco porque vocês podem achar que é um spoiler. Segue aqui: não gostei muito do final do livro, realmente esperei que pudesse ter um "final" para David e para Arthur, mas CADÊ? Vai ter segundo livro? Gostaria de algumas explicações... Além disso, gostaria que tivesse uma continuação para William... Foi pesado. Fiquei curiosa com o que realmente aconteceu depois das últimas páginas. Acabou spoiler rs
- Não é preciso dizer sim para aceitar alguma coisa.
pág. 167
Gostei muito da diagramação da Verus, encontrei poucos problemas com erro de digitação (não me lembro de nenhum erro gritante no momento, e eu sou uma pessoa muito chata com isso, meu Deus!) e além disso, páginas amarelas me conquistam assim como fontes em um tamanho confortável - nem muito pequena, nem muito grande. Os capítulos não são tão grandes e o livro também não. Você lê se intriga e fica pensando dias depois no livro.... É, super recomendado se você quer se arriscar por uma literatura nacional mas sem muito romance, é o livro certo pra você.

Classificação: ⭐⭐⭐⭐⭐

12 comentários

  1. Oi Pâm! Gostei tanto desse livro quanto você, realmente o autor está de parabéns! Tbm adorei o detetive Arthur!
    Minha ressalva é a mesma q a sua, sobre o final do livro, tbm esperava mais. Mas isso não tira o mérito da obra!
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai Carol
      super mudaria o final
      fiquei até meio brava kkk mas gostei do livro no geral então nao posso reclamar nao ...

      beijocas!

      Excluir
  2. Oi Pâm. Recentemente li uma resenha sobre esse livro que despertou meu interesse na leitura e cada vez mais me convenço de que será uma leitura maravilhosa, por todos os pontos que tu levantou na tua resenha. Estou adorando história que me façam colocar o dedo na consciência e refletir profundamente sobre os assuntos abordados.
    Beijos
    http://espiraldelivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse é o tipo de livro que vale a pena , justamente por ser nacional, um thriller e ser tão bem construido, vale muito a pena conferir!

      Excluir
  3. Não sei se leria esse livro porque sou a doida do romance, mas não tenho dúvida de que ele proporciona uma boa leitura!

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  4. ah ja gostei mt de conhecer esse livro, parece mesmo aquele tipo de leitura gostosa que te prende

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  5. Oi, Pam!
    Eu adorei esse livro. Foi um dos poucos thrillers que li nos últimos anos e valeu muito a pena.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  6. Hey Pam! Tudo bem?
    Não conhecia o livro, mas adorei a premissa dele, curto bastante thrillers.
    Obrigada por comentar lá no blog.
    Volte sempre!

    ~ miiistoquente

    ResponderExcluir

Desenvolvido por: Adorável Design Editado por: Pâm Possani