[RESENHA] O ar que ele respira, de Brittainy C. Cherry

Postado em 26 de julho de 2016 às 10:00 por

Olha cupcakes, espero que esteja tudo bem com vocês! Comigo está, mas gente!!! Quando eu vi essa capa eu fiquei tão desesperada para ler e conhecer essa história que não sosseguei até tê-lo finalmente em mãos. E aqui estamos nós! Vem cá ver o que eu achei dessa belezura?

Sinopse: Como superar a dor de uma perda irreparável? Elizabeth está tentando seguir em frente. Depois da morte do marido e de ter passado um ano na casa da mãe, ela decide voltar a seu antigo lar e enfrentar as lembranças de seu casamento feliz com Steven. Porém, ao retornar à pequena Meadows Creek, ela se depara com um novo vizinho, Tristan Cole. Grosseiro, solitário, o olhar sempre agressivo e triste, ele parece fugir do passado. Mas Elizabeth logo descobre que, por trás do ser intratável, há um homem devastado pela morte das pessoas que mais amava. Elizabeth tenta se aproximar dele, mas Tristan tenta de todas as formas impedir que ela entre em sua vida. Em seu coração despedaçado parece não haver espaço para um novo começo. Ou talvez sim.


RESENHA
Depois que eu terminei esse livro tudo que eu conseguia pensar era: Vou respirar outra vez. Porque O ar que ele respira, sem dúvida, é um livro que te faz pensar sobre a sua própria respiração descompassada, sobre como você lida com a sua vida, sobre como lidam com a perda, sobre voltar a respirar outra vez. Inspire, expire novamente.
Tá, tá, eu confesso que a primeira coisa que eu vi nesse livro NÃO foi a sinopse. Falo mesmo e não tenho vergonha, não. Imagine! Foi essa capa. Eu tive uma crush tanto no carinha da capa quanto no jogo de cores do livro todo, tons de cinza, roxo e azul, e depois de ler a sinopse que, aí sim,  eu fiquei mais interessada. É um livro que trata da perda, do amor, de respirar.
A pior parte de perder uma pessoa amada é que você também se perde.
pág. 55
Mas POR QUE respirar, Pâm? O que você quer dizer com isso? Eles tem problema no pulmão ou algo do tipo? NÃAAAO gente, é algo mais intrínseco esse termo. Isso porque somos apresentados a dois personagens que sofreram perdas irreparáveis e, se veem impossibilitados de respirar quanto aos cursos que a vida tomou e manchou seus passados.
 Ele chegou mais perto.
Não me mexi.
Ele respirou.
Respirei também.
Uma respiração de cada vez.
pág. 28
É aí que somos apresentados a Elizabeth, uma mulher que perdeu o marido há um ano e ainda está tentando respirar novamente, um dia de cada vez. Ela encontra forças em sua pequena Emma, uma linda garotinha com os olhos do falecido esposo, mas que contém lembranças e plumas brancas que estão lá todos os dias para forçá-la a dar mais um passo, tentar seguir em frente. Mas isso não está sendo o suficiente para que ela se "desprenda" do luto e continue com todos os seus sonhos que foram imediatamente postos de lado quando a tragédia marcou seu casamento. Assim, vendo sua mãe e sua vida tomando um rumo que ela não quer para si e sua filha, ela se vê obrigada a tentar novamente, e dessa vez, em sua antiga casa em Meadows Creek, uma cidade onde a fofoca corre solta e muitas pessoas acham que conhecem tudo sobre sua vida. O que ela não esperava era que um pequeno incidente e um vizinho pudessem vir a ser tão irritantes e ao mesmo tempo... Tão parecido consigo? Ela acaba descobrindo que a máscara que todos veem como um monstro em Tristan, seu vizinho com cara de mau e tatuagens de histórias infantis, na verdade encobre algo muito mais intrínseco e profundo, muito abaixo da superfície a que todos chamam de "assustadora". Mas será que juntos eles podem lutar contra a marca de seus passados e finalmente respirar mais uma vez?
Mesmo quando o coração está em pedaços, ainda resta uma esperança quando se lê um romance.
pág. 96
De forma muito particular e singela vamos conhecendo Tristan, um rapaz barbudo (sim, imagine o Franggy Yanez, o rapaz da capa) que tem tatuagens de contos em seus braços (isso é muito lindo, sério!), que é apresentado de forma muito misteriosa no começo mas que você vê que o passado está marcado ainda muito vivo em sua mente, e ele usa do seu lado fechado para evitar ao máximo se aproximar de qualquer um, de uma nova dor, sua morte em vida. A forma como ele conhece a dor é de cortar o coração, certamente, você sabe pelo que ele passou, mas é difícil falar sobre algo dessa forma, não é mesmo? Elizabeth é uma mulher que encontra forças em sua filha Emma para tentar continuar com sua vida após a morte de seu marido. Mas eles ainda estão muito apegados, revivendo o passado para poder seguir. Ou não? Emma é uma das personagens favoritas, uma criança fofa, inteligente, que vê em plumas brancas a esperança (quando lerem, vão entender rs) que falta na vida de Lizzie. Gostei muito de como os personagens vão descobrindo sua dor e como podem se ajudar, da mesma forma como os sentimentos, a perda e o amor através dela é algo muito bem trabalhado nesse livro. 
Sabe aquele lugar entre os sonhos e o pesadelo? Aquele lugar onde o amanhã não chega e o passado não dói mais? O lugar onde seu coração bate em sintonia com o meu? Aquele lugar onde o tempo não existe e é mais fácil respirar? Quero viver nesse lugar com você.
pág. 179
Brittainy C. Cherry escreve de forma incrível, por vezes ela deixa as frases em tamanho menor, o que acredito que possa ter simulado a respiração, deixa as frases em estrofes em que dá a impressão de inspirar e expirar; ou simplesmente de momentos em que você apresenta os fatos que não tem como voltar atrás. Seus personagens conhecem a dor da perda de uma forma que achei muito semelhante em As batidas perdidas do coração, tinha algo sobre encontrar o amor na perda que se assemelhava muito. O amor entre os personagens, o relacionamento me fez lembrar de Talvez um dia - o porquê de ter o relacionamento mesmo sendo uma coisa que seria impensável para ambos no início - e pensar em O lado feio do amor, mesmo que não tenha lido o último, a ideia me parece muito semelhante. Se for para ter algum defeito, foi em que, determinado momento da narrativa, as cenas de sexo me pareceram demais. Eu não queria ficar lendo-as, parecia que estava saindo do foco, apesar de que, em vista de muitas leituras, são as cenas com descrições de sentimentos mais bonitas, porque através do sexo que as personagens vão tendo uma percepção maior, que já passou daquilo e tem muito mais intimidade envolvida. Ah! Outra coisa que eu não gostei muito, foi que no final, eu achei que desenvolveu muito rápido alguns porquês, parecia que a autora queria falar logo o que aconteceu para finalizar o livro e dar um fim, sabe? Não sei se foi isso, mas foi essa impressão que tive, apesar de ter gostado bastante da estória. Fiquei curiosa para ver como foi a construção das personagens em Sr. Daniels, o primeiro livro publicado aqui no Brasil da autora.
Pensei que teria tempo, mas às vezes o amanhã nunca chega e você acaba sozinho com as memórias do passado.
pág. 169
Outra coisa que achei MUITO legal, por ser um romance escrito em 2015 e ser de forma atual, e passar nos dias de hoje, tem muitas referências atuais! Tem Netflix, Vingadores, contos infantis e quadrinhos, dentre outros. Os capítulos, no geral, são curtos, o que sempre faz você falar "vou ler só mais um capítulo" e não conseguir largar até o final. Ah! Esse é o primeiro de uma série chamada "Elementos" em que cada livro a autora vai tratar dos quatros elementos. O segundo é referente ao elemento fogo que já tem o título de "The Fire Between High & Lo".
E aprendi o quanto dói ter que finalmente dizer adeus.
pág. 247
É difícil falar tudo que eu tenho pra falar desse livro e de como ele me arrebatou de uma forma que eu não conseguia parar de ler e levar ele pra tudo quanto é lado - deixei ele na minha mesa do trabalho o dia todo, do meu ladinho, não conseguia largar mesmo! haha Culpa do Skoob e da jogada de marketing maravilhosa da Galera Record colocando esse livro em tudo quanto é lado na rede social! Que aliás, não me lembro de ter visto erro de gramática (apesar de não ter lido em inglês, não sei como ficou a tradução, mas não vi problemas em concordância nem nada do tipo) nem algum probleminha com a escrita. Muito caprichado apesar de ter uma diagramação simples, gostei muito, nas páginas amarelas o conforto no momento de ler. Enfim, a minha dica de hoje para ler numa "sentada" é essa belezinha de capa arrebatadora e personagens marcantes, que vai te deixar com várias emoções ao longo das páginas.




Você também pode gostar de:

11 comentários

  1. Eu estou completamente apaixonada, por essa capa e totalmente encantada por esse enredo. Sua resenha me deixou com muita vontade de ler esse livro! Ameeei a dica!
    Mil Beijos!
    http://pensamentosdeumageminiana.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi, Pâm!! Tudo bem???

    Menina, crushei o carinha da capa tbm hahah Não tinha lido nenhuma resenha dele, mas tenho visto em muitos canais de divulgação. Adorei sua resenha. O gênero me interessou, fiquei com vontade de ler mais sobre essa história. Bjs,

    www.estranhoscomoeu.com

    ResponderExcluir
  3. Pâm... sem medo eu digo, sim... eu julgo livro pela capa e compro pq tem a capa bonita... pronto falei! hauhauahuah
    Não sei que já havia me falado desse livro... que pirou... agora você... adorei o jeito que você colocou que qnd terminou voltou a respirar! hauahuah Adoro livro assim que mexem com nossos pensamentos, com o que acontece, com o que a gnt acredita... Lista? Lista!!! ahuahuahauha

    Pâm... preciso fazer meu post do LJB!!! hauahuahau urgente!!! hauahua

    Bjinhos
    JuJu
    www.asbesteirasquemecontam.com.br

    ResponderExcluir
  4. adorei a dica, bjs : )
    lanibelezafeminina.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. OI PAAAAAAAAM

    fiquei extremamente curiosa com esse lance de não conseguir respirar direito. Livros que abordam perdas (principalmente românticas) muito me interessam, porque eu espero um dia aprender com elas como lidar com isso - coisa que nunca consigo HAHAH :(

    beeeeeijo
    beinghellz.com

    P.S.: enviei sua cartinha, viu? *-*

    ResponderExcluir
  6. Esse livro parece ser daqueles que a gente termina, abraça e suspira. A história, apesar de triste, parecer conter uma mensagem bem bonita como você descreveu na resenha. Ainda não tinha ouvido falar desse livro em questão, mas confesso que fiquei curiosa pra ler (e também tive um crush pelo modelo da capa hahahaaha).

    Beijos
    barbfurtado.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. HAHAHA crushs de capas de livros são essenciais, quem não tem um né? olha, vou te dizer, a minha reação quando me deparei com esse livro foi exatamente o contrário da sua por um motivo que a sua resenha só me deu mais certeza, e no final você mesma citou. Me lembrou MUITO os livros da Colleen, repletos de dor e passados sufocantes, e apesar de gostar de uma sofrência, tentei ler Sr. Daniels uma vez e a escrita da autora não funcionou comigo, até tinha curiosidade em ler o resto, mas eu travava e ia levar uma vida inteira pra terminar, então desisti, e daí nem quis saber de O ar que ele respira. Eis que você me deixou com aquela pulga atrás da orelha, né. O que seráa que tem no passado dele pra assombrar tanto? Eu desmereci tanto os livros da Colleen pela modinha que acabei levando na cara quando peguei pra ler e me encantei, aposto que vai acontecer o mesmo com esse kkkk sua resenha ficou maravilhosaa, bem completa!

    UHAUHAH siim, não teve ninguém puxando o meu pé, não. Espera mesmo uma promoção, eu louca desesperada fui comprar no lançamento, lá na bienal, paguei uma nota kkk peguei o livro e deixei meu rim lá.
    Aaah, baixa sim os filmes. Ce tem algum bom pra recomendar? Os que to esperando pra assistir ainda não saíram em qualidade boa #chateada #vidasofrida

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi, Pam!
    Esse livro entrou pra minha wishlist assim que foi lançado e agora estou ainda mais ansiosa pra ler! Adorei a resenha!
    Beijos!
    Borboletas de Papel | Fanpage

    ResponderExcluir
  9. Menina, tu é danada! HAHAHAHAH
    Foi descobrir até o nome do modelo da capa! Como não se apaixonar por essa capa? É impossível, né não. Fui até olhar no google pra ver a cara dele de frente! Eu fiquei louca nesse livro desde que ele foi anunciado no Mochilão da Record. Comprei assim que saiu em pré-venda, mas ainda não deu pra leeeeer! Socorro, quero ler logo!
    Adoro esses títulos que se conectam com a história de maneiras profundas, que não são apenas títulos, que estão ali porque fazem sentido e que a história não seria a mesma se tivesse outro nome, sabe?
    Sobre o excesso de sexo...isso me preocupa um pouco, não pensei que haveria tantas, afinal, a proposta do livro não dá a entender que seria algo mais carnal. Enfim, só lendo pra saber. E sabe que eu tenho Sr. Daniels também e TAMBÉM não li. Mas dizem que parece MUITO com Métrica, também da Colleen Hoover...será que a Brittainy é CoHort? HHAHAHAH

    E eu vi ali que vc gastou um milhão de post-its, #migasualoka HAAHAHAH

    Espero ler logo, vou só ler os livros de parceria e vou pular no colo co Tristan...ô, quem me dera! HAHAHAHA

    Beijo
    - Tamires
    Blog Meu Epílogo | Instagram | Facebook

    ResponderExcluir
  10. Só a capa chama da a atenção né? Quero muito ler! <3

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  11. Achei a capa muito linda !!! Vou totalmente ver para comprar o livro parece ótimo!!
    parabéns pela resenha hahaha
    beijosss
    wonderbookss.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

NEWSletter

Blog Archive