Postado em 11 de fevereiro de 2018 às 13:44

[PEGA A PIPOCA] The end of F***ing World

Hey cupcakes! Hoje é dia de mais um Pega a Pipoca e dessa vez de uma série nova, curta duração e poucos episódios no Netflix mas que vem conquistando muita gente e também causando um certo alvoroço. Vem cá conferir o que eu achei dessa série super maratonável?

Sinopse: James (Alex Lawter, Black Mirror) tem 17 anos e quase certeza que é um psicopata. Alyssa (Jessica Barden, Penny Dreadfull), também 17, é a garota legal e descontrolada da escola. Seus caminhos se cruzam quando ela o persuadia a embarcar em uma viagem pela busca de seu pai biológico. 

Essa pode ser uma das séries estranhas ao mesmo tempo que é com gente normal e não é sobrenatural mas que vai causar uma confusão no seu cérebro ao mesmo tempo que provoca diversos sentimentos. Parece confusa? Vou te explicar um pouco e por quê.
Em The End of F**king World vamos conhecer James, que é um jovem com tendências psicopatas, passado oculto e que certamente não se dá tão bem quanto deveria com seu pai. Além disso, ele é sozinho, não gosta de situações sociais e certamente gostaria de bem evitar a jovem que está a sua frente no refeitório, mais conhecida como...


Alyssa, que, de cara, não é a garota que James pensaria que fosse ao aparecer tão repentinamente em sua vida e nem pensaria que poderiam ambos desenvolver uma espécie de relacionamento e muito menos pensar nas consequências e rumos que tomariam os dois quando eles resolvessem fugir de suas vidas rabiscadas e ir em busca do pai biológico dela... Isso poderia ser o maior problema ou a única solução de suas vidas?

Esse é o tipo de série que você começa a assistir despretensiosamente e quando vê, já está acabando e você se sente totalmente envolvido. Não tem a melhor produção da vida mas também não é algo tão ruim assim. Tem uma playlist legal com aquela pegada vintage, meio deprê e que você ouve e seus ouvidos dizem que é um som gostosinho. Casa com a história. Porque é inesperado, é surpreendente e fugaz. Traz diversos sentimentos e você acaba criando um certo vínculo com James e Aly - eles são meio "estranhos" e vivem a vida de uma forma um pouco diferente ainda que muito novos mas sentem tudo com a intensidade da adolescência ao mesmo tempo que são assuntos que adultos às vezes não conseguem lidar tão bem.

É exatamente a série que você termina e quer mais porque...O QUE É AQUELE FINAL, meu bem? Bem, só nos resta esperar. Os capítulos são curtinhos (cerca de 20 minutos, até menos) e você consegue maratonar tudo (são oito episódios) em três horas tranquilamente. Não te garanto que você vai pensar menos que isso depois que terminar, ok? Ponha sua conta em risco, mermão! Aliás, adoro as cores e as fotos dessa série. Meio mórbido, meio Hannibal, meio único.
A série é inspirada nos quadrinhos de Charles Forsman e se eu imagino o que estou imaginando depois de uma breve pesquisa, aparentemente eles serem tão diretos e crus vem daí. Parece encenação - e dã, isso é mesmo - mas dá pra notar que as personagens são assim mesmo e é algo diferente e interessante de se assistir.
TEOTFW é uma série de humor negro como diz o próprio catálogo do Netflix. Tem uma pitada de romance, suspense e drama na medida. Apesar de ser uma série um pouco "diferente" dos padrões e pode ser considerada ruim, tem toda uma pegada que conquista com a premissa de episódios curtos e, de certo modo, impactantes.



E ah, deixa eu colocar o pôster aqui, vai, porque eu amei essas cores:

Ah, James...

3 comentários

  1. Oi Pamzinha!
    Eu não gosto da Alyssa. Que raiva da garota!
    Mas no final, fiquei chocada e querendo mais. HAHAHAHAHAHA
    Netflix sempre me surpreendendo <3
    Beeeeeeeeeeeeeeeeijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. MENINAA kkk fiquei também
      o coração ficou mega apertado, menina HAHAHAHAHAHAH
      beijocasss

      Excluir
  2. AMOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO eu também fiz um super post lá no blog comparando essa protagonistas com as dos livros do John green kkkkkkkkk (amei o post)

    ResponderExcluir

Desenvolvido por: Adorável Design Editado por: Pâm Possani