[RESENHA] Sr. Daniels, de Brittainy C. Cherry

Postado em 19 de março de 2017 às 11:25 por

Hey cupcakes! Hoje é dia de uma resenha de um livro especial que acabei lendo no carnaval, superando todas as expectativas de leitura e rapidez com que lia em muito tempo. Sr. Daniels, um livro especial que fala sobre muitos pontos que podem tocar seu coração. Já conhece? Ainda não? Vem cá que eu vou te contar um pouco sobre como foi a leitura. 

Sinopse: Depois de perder a irmã gêmea para a leucemia, Ashlyn Jennings vê sua vida mudar completamente. Além de ter de aprender a conviver sem parte de si mesma, ela precisa se adaptar a uma nova rotina. Enviada pela mãe para a casa do pai, com quem mal conviveu até então, ela viaja de trem para Edgewood, Wisconsin, carregando poucos pertences, muitas lembranças e uma caixa misteriosa deixada pela irmã. Na estação de trem Ashlyn conhece o músico Daniel, um rapaz lindo e gentil, e a atração é imediata. Os dois compartilham não só o amor pela música e por William Shakespeare mas também a dor provocada por perdas irreparáveis. Ao sentir-se esperançosa quanto a sua nova vida, Ashlyn começa o ano letivo na escola onde o pai é diretor. E não consegue acreditar quando descobre, no primeiro dia de aula, que Daniel, o belo músico de olhos azuis com quem já está completamente envolvida, é o Sr. Daniels, seu professor de inglês.Desorientados, eles precisam manter seu amor em segredo, e são forçados a se ver como dois desconhecidos na escola. E, como se isso já não fosse difícil o bastante, eles ainda precisam tentar de todas as formas superar os antigos problemas e sobreviver a novos e inesperados conflitos.

RESENHA
Eis aqui um livro que eu e a Alê estávamos curiosas para ler desde que lemos O ar que ele respira da mesma autora - e quando ela pegou pra ler e me disse que a leitura estava sendo maravilhosa, não me contive e corri pra ler também EEEEEEEEEEEEE... Não me decepcionei.
As pessoas sempre diziam que, com o tempo, tudo vai ficando mais fácil quando se perde alguém. Diziam que, com o tempo, ia melhorar. Mas eu não conseguia entender como isso poderia acontecer. A cada dia, tudo só se tornava mais difícil. O mundo só ficava mais escuro. A dor apenas se aprofundava.
Eu juro pra vocês que ler esse livro foi uma completa surpresa - me apaixonei pela escrita da Brittainy mas nem li a sinopse: ultimamente não estou lendo sinopses e estou curtindo a experiência. Vou falar um pouquinho sobre o enredo agora e logo abaixo, a experiência com esse livro. Então vamos por partes!
Coisas terríveis aconteceram na minha vida E eu venho percebendo que se não dizemos o que precisamos dizer quando temos chance, acabamos nos arrependendo depois. Mesmo se estiver zangada, diga. Grite para o mundo, enquanto ainda tem uma chance. Porque uma vez que a vida passa, essa oportunidade não volta. E as palavras não ditas também se perdem para sempre.
Ashlyn Jennings acaba de ver sua vida virar do avesso: sua irmã gêmea perdeu a batalha com a leucemia, foi deixada de lado por sua mãe e vai que passar um tempo com o pai que nunca esteve presente. Com uma bagagem pequena e muitas lágrimas na memória, ela embarca numa viagem de trem até Wisconsin para chegar ao seu destino. No trem, ela descobre Daniel, que compartilha dos gostos musicais e literários, citando Shakespeare em um breve encontro, mas sem saber que compartilhavam também de perdas que jamais voltariam. O que ela não imaginava é que ele pudesse estar escrito nos seus dias escolares, quando descobre no primeiro dia de aula que o Daniel na verdade é  Sr. Daniels, seu professor de Inglês Avançado, na escola da qual seu pai é vice-diretor.  Diante disso, eles conseguirão vencer juntos as dores que compartilham? Quantas barreiras mais eles precisarão vencer para serem felizes mais uma vez? Eles... conseguirão? E seus destinos estarão traçados?
[...] Fingir ser feliz é quase como ser feliz. Até você lembrar que é apenas fingimento. Então você fica triste. Realmente triste. Porque usar uma máscara todos os dias da sua vida é a coisa mais difícil do mundo. E depois de um tempo, você tem um pouco de medo porque a máscara se torna você.
Brittainy tem o dom de falar sobre dor, amor e perda. Assim como a história de Tristan, temos personagens que precisam lidar com a perda de alguém querido e a forma como o ser humano precisa se "acostumar" com a perda é quase que excruciante - essa autora escreve de uma forma que você sente com cada personagem a sua dor e tenta lidar com ela. Isso não é incrível e doloroso? Ao mesmo tempo que dói eu achava magistral porque falar sobre sentimentos nunca é fácil e fazer os leitores sentirem a história e ainda citando William Shakespeare - como é linda a forma com que é citado (ele tem até um apelido!!!) - não é para qualquer um. Temos personagens que crescem, que precisam enfrentar suas batalhas, seguir em frente, encontrar algum conforto em suas perdas. Precisam aprender a viver novamente, respirar mais uma vez.
E a história vai ficando velha para todo mundo ao seu redor. As pessoas se cansam de ouvir você. Ficam oprimidas por sua tristeza. Então, você age como se não doesse mais. Só assim você consegue que elas parem de se preocupar. Só assim você não vai mais incomodar ninguém com seu sofrimento.
Esse foi o primeiro livro publicado da autora aqui no Brasil, e por enquanto, não há uma continuação. MAS temos O ar que ele respira, que foi publicado após esse, da série Elementos. Dessa forma, existem alguns elementos que a autora, imagino eu, usou sem querer, e construiu o Tristan Cole. Mas, são detalhes que você precisa ler e voltar pra comentar aqui comigo se concorda. E você já conhecia história? Conhece algum romance proibido que valha a pena ser lido? Vem me contar!
Não importa o que aconteça, não importa quantas vezes você lide com ela, a morte não fica mais fácil.

Você também pode gostar de:

0 comentários

NEWSletter

Blog Archive