[RESENHA] Soberana - A ascensão da rainha de Marte, de Kássia Monteiro

Postado em 3 de setembro de 2016 às 08:58 por

Olá queridos cupcakes! Como vão? Hoje é dia de resenha de um nacional bão com inspiração no nosso clássico de José de Alencar. Já conhece a princesinha de Marte? Vem cá que eu te conto o que achei da leitura e de quebra dou essa dica da Editora Draco pra vocês!

Sinopse:O caminho de uma verdadeira líder passa pelo coração e pela espada.
Quando os reis de Arcádia morrem por uma terrível doença e o reino é invadido pelas raças menores, nada resta à jovem princesa Liarlinde Arcandoff a não ser fugir para o deserto marciano.
Depois de quase sucumbir nas areias vermelhas, abandonada à própria sorte, ela retorna para se vingar, agora uma poderosa guerreira. Esse é o início da cruzada para caçar os invasores de seu reino e garantir aos excluídos o seu lugar de direito. Liarlinde enfrentará muitas batalhas, mas a mais dura delas nada tem a ver com soldados e armas.
Soberana – A ascensão da rainha de Marte é o romance de estreia de Kássia Monteiro. Inspirado pelo clássico da literatura Senhora, de José de Alencar, essa é a história de uma mulher nobre que deve entender o seu papel na sociedade enquanto lida com seus sentimentos. Tudo isso entre lutas sangrentas e uma viagem a um ambiente fantástico e surpreendente, regados pelo humor ácido da autora. Poderá a jovem Liarlinde vencer os seus fantasmas enquanto ascende à posição de Senhora de Marte?


RESENHA
Era uma guerreira, treinada para lutar e estraçalhar. Não sabia como cuidar de um coração ferido. Ela fora ensinada a feri-los.

Aqui, iremos conhecer Liarlinde, uma moça marciana que, após perder os pais acometidos por uma terrível doença, tenha que assumir o reino, e se tornar a Soberana de Marte. Isso mesmo, o livro não se passa por aqui no nosso planeta Terra, mas por mais curioso e normal que isso seja, eu não imaginei ela verdinha e com olhinhos pretos como os ETs que geralmente somos levados a acreditar, mas voltando... O que ela não imaginava era que com esse fardo seria tão difícil de carregar.
Logo após a morte deles, os escravos rebeldes querem uma coisa : a libertação ou guerra. É aí que vemos que Liarlinde já tomava a sombra do que mais tarde se tornaria - ela claramente escolheu a guerra. E em meio a todo o alvoroço da rebelião, seu noivo foge, o que a deixa devastada. Ele não era simplesmente o noivo que os deuses haviam escolhido - ele era Guer, lindo, fofo, inteligente... Ele era seu confidente, seu melhor amigo, tudo que lhe restara, aquele que lhe fizera promessas lindas que jamais seriam cumpridas pela sua fuga sem explicações. O lado obscuro de Liarlinde auxiliava na guerreira que ela se tornava a cada dia. Uma mulher com sangue frio que não leva o perdão em primeiro lugar nas suas decisões, ainda mais depois de ser capturada por mercenários. E como tudo tem seu lado bom ~nesse caso~, ela se tornou uma ótima espadachim... O que, afinal, ajudaria na parte de se tornar uma guerreira e devolver todo o sofrimento por que a fizeram passar. Mas será que vale a pena? E o que ela tanto desejava valeria a pena quando conseguisse? E o seu coração, apesar de duro, teria seu final feliz, esperado desde criança?
- Danem-se os adultos, quem precisa deles? Eu sempre vou estar do seu lado, pra qualquer coisa que você precisar, entendeu? E, além do mais, um dia eu também vou ser adulto, ter uma barba de respeito e aí você não vai ter que se preocupar mais com nada. Eu vou cuidar de você.
- Só porque os deuses selaram e você não tem escolha.
- Ou talvez eu queria mesmo passar o resto da minha vida com você.
Ao longo das páginas vamos conferindo as aventuras, terríveis que transformam o coração de Liarlinde, enquanto ela cai mas depois também. E por mais má e ruim que ela possa parecer, você consegue ver os motivos e as consequências de cada coisinha que acontecia com ela durante a narrativa. Eu costumava pensar na princesinha de coração de pedra - e meu Deus, se eu achava que tinha coração de gelo, é porque eu não a tinha conhecido antes HAHA
Confesso que o começo do livro foi um pouco arrastado para minha pessoa. Eu não li Senhora, em que o livro é inspirado (#shame on me) então eu não pude associar Liarlinde nem Guer aos personagens da trama de José de Alencar. Contudo, mais tarde na leitura, eu consegui me apegar a eles, como se fossem meus amigos e confidentes. É interessante a forma como eu queria esganar a Lia e depois abraçá-la, porque os sentimentos que vieram à tona não devem ter sido nada fáceis. O que no começo eu achava estranho mas depois me acostumei foi que, como é em Marte, existem algumas coisas típicas, como atitudes, brincadeiras e formalidades que nós, terráqueos, não temos, então a autora explicava para nós.
Sem dúvida diferente e interessante.
Breve comentário sobre o silêncio constrangedor
Conhecido dos humanos terráqueos,  e também dos marcianos, é aquele em que você sabe que tem muito a dizer, mas não pode. Ou em que não tem nada a dizer, mas sabe que precisa se manifestar.
Não tenho como falar da versão física, mas na versão digital eu vi poucos erros ortográficos e de concordância e como a letrinha do Kindle é muito confortável, eu não vi muitos problemas na leitura estruturalmente, apenas meus problemas no início mas que depois foi bem recheado de guerra e aventuras com uma pitada bem leve de romance. Recomendo para você que já leu Senhora ou que quer conhecer uma princesinha bem atrevida na literatura, mas que tem uma força de vencer ENORME.








Você também pode gostar de:

8 comentários

  1. Eu também não li a obra que serviu como inspiração, mas pra autora ter escrito uma obra de marte, foi uma inspiração e tanto ein hahahaha toda a obra me pareceu original, desde a terra onde passa até tudo o que acontece lá. Muita criatividade da autora, me deixou curiosa pra ler!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carolllll


      Me senti menos sozinha quando voce disse que voce nao leu Senhora também rsrs
      Obrigada! Haja inspiração pra Kassia ne?kkk Acho que voce iria curtir, ele é curtinho e bem, é uma historia bacana!
      Beijocas!

      Excluir
  2. Oi, Pâm! Obrigada pela resenha! Que bom que você entendeu o lado da Lia hahah E o Guer é mesmo um fofo, né? Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey querida autora!
      heheh o Guer é um fofo e a menina dando uns chega pra la nele fiquei morrendo de dó! Mas ainda bem que bem... NÉ <3
      Adorei!
      Um abraço! ta de parabens!

      Excluir
  3. oi Pam!

    eu tô com "Senhora" aqui pra ler, mas ainda não tive coragem. Olho a capa e deixo sempre pra depois HAHAHA Me dá preguicinha de ler esses clássicos brasileiros, confesso D:
    mas talvez a releitura dele fosse mais agradável. Achei a história legal, pelo que ce contou. E a capa é bem bonita!

    beijo
    beinghellz.com

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. Quando ler Senhora me avise para que eu possa criar coragem tambem hehehe
      alguns classicos brasileiros - le-se: a maioria - são meio chatinhos de ler entao bate aqueeeeeela preguicinha basica ne hellz kk mas acho que a releitura é valida ism heheh e é bem curtinho ne?

      Excluir
  4. Oi, Pam!
    Gosto quando a história é assim, aventura e romance na dosse certa! Vou anotar a indicação aqui para ler numa proxima oportunidade!
    Beijos!
    Borboletas de Papel | InstagramFanpageTwitter

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey Aline!

      Aventura, romance e historia levinha é bom né? Passa rapidinho a leitura hehe
      quando tiver a oportunidade leia a soberana e me conte!
      Beijocas!

      Excluir

NEWSletter

Blog Archive